Musica Italiana

Via dei Ciclamini

( Canta: Orietta Berti )
( Autores: Pace - Panzeri - Conti - Argenio - 1971 )

Esta musica na realidade não foi entendida pelo grande publico, tanto que a mesma Orietta Berti, hospede do jornalista Fabio Fazio na transmissão "Alma minha", declarou que a sua mal tratada musica de fato trata o tema do fechamento das casas de prostituição e que portanto por todos os efeitos era uma musica socialmente empenhada. O mesmo critico musical Dario Salvatori a definirá "a musica mais corajosa escrita nos anos da contestação".

Original em italiano Tradução

In via dei Ciclamini
al 123
vendevano le bambole
vestite come me.

La guerra era finita
ma però ricordo che
sui muri delle bambole
scrivevo insieme a te.

L'amore è come l'edera,
s'attacca dove vuole.
Quel giorno, senza dirmelo,
m'hai presa con un fiore.

L'amore è come l'edera,
s'attacca dove vuole.
Non vedo più le bambole
ma son legata a te.

Eran giorni tutti per me.
Eran giorni tutti per te.

In via dei Ciclamini,
dove abitavi tu,
il muro delle bambole
adesso non c'è più.

Han messo una balera
e l'ascensore va su e giù,
e cambiano ogni sera
le bamboline blu.

L'amore è come l'edera,
s'attacca dove vuole.
Quel giorno senza dirmelo
m'hai presa con un fiore.

L'amore è come l'edera,
s'attacca dove vuole.
Non vedo più le bambole
ma son legata a te.

Eran giorni tutti per me,
eran giorni tutti per te.

In via dei Ciclamini
l'amore si fermò,
mi disse "Ciao bambina,
un giorno tornerò".

La guerra era finita
ma però ricordo che
mi disse "Ciao bambina,
ho amato solo te".

L'amore è come l'edera,
s'attacca dove vuole.
Quel giorno senza dirmelo
m'hai presa con un fiore.

L'amore è come l'edera,
s'attacca dove vuole.
Non vedo più le bambole
ma son legata a te.

Eran giorni tutti per me!
Eran giorni tutti per te!


Na rua dos Ciclamens
ao 123
vendiam as bonecas
vestidas como eu.

A guerra havia acabado
mas porem lembro que
nos muros das bonecas
eu escrevia junto contigo.

O amor é como a hera,
agarra-se onde quiser.
Naquele dia, sem me avisar,
me pegaste como uma flor.

O amor é como a hera,
agarra-se onde quiser.
Não vejo mais as bonecas
mas estou ligada a ti.

Eram dias todos pra mim.
Eram dias todos pra ti.

Na rua dos Ciclamens,
onde tu moravas,
o muro das bonecas
agora não está mais.

Construíram um salão de baile
e o elevador vai pra cima e pra baixo,
e mudam a cada noite
as bonequinhas azuis.

O amor é como a hera,
agarra-se onde quiser.
Naquele dia, sem me avisar,
me pegaste como uma flor.

O amor é como a hera,
agarra-se onde quiser.
Não vejo mais as bonecas
mas estou ligada a ti.

Eram dias todos pra mim.
Eram dias todos pra ti.

Na rua dos Ciclamens
o amor parou,
me disse "Tchau menina,
um dia voltarei".

A guerra havia acabado
mas porem lembro que
me disse "Tchau menina,
amei somente a ti".

O amor é como a hera,
agarra-se onde quiser.
Naquele dia, sem me avisar,
me pegaste como uma flor.

O amor é como a hera,
agarra-se onde quiser.
Não vejo mais as bonecas
mas estou ligada a ti.

Eram dias todos pra mim!
Eram dias todos pra ti!