Musica Italiana

Tu ca nun chiagne

( Canta: O Tenor Enrico Caruso )
( Autores: Bovio - De Curtis - 1915 )

Original em dialeto napolitano Tradução

Comm'è bella 'a muntagna stanotte,
bella accussí, nun ll'aggio vista maje!
N'ánema pare, rassignata e stanca,
sott''a cuperta 'e chesta luna janca.

Tu ca nun chiagne e chiágnere mme faje,
tu, stanotte, addó' staje?
Voglio a te!
Voglio a te!
Chist'uocchie te vonno,
n'ata vota, vedé!

Comm'è calma 'a muntagna stanotte,
cchiù calma 'e mo, nun ll'aggio vista maje!
E tutto dorme, tutto dorme o more,
e i' sulo veglio, pecché veglia Ammore.

Tu ca nun chiagne e chiágnere mme faje,
tu, stanotte, addó' staje?
Voglio a te!
Voglio a te!
Chist'uocchie te vonno,
n'ata vota, vedé!


Como é bela a montanha esta noite,
bela assim não a vi nunca!
Uma alma parece, resignada e cansada,
sob a coberta desta lua branca.

Você que não chora e chorar me faz,
você, esta noite, onde está?
Quero você!
Quero você!
Esses olhos querem,
outra vez, ver você!

Como é calma a montanha esta noite,
mais calma que agora, não a vi nunca!
E tudo dorme, tudo dorme o morre,
e eu só acordado, porque vivo é o Amor.

Você que não chora e chorar me faz,
você, esta noite, onde está?
Quero você!
Quero você!
Esses olhos querem,
outra vez, ver você!