Musica Italiana

Testardo io

( Canta: Roberto Carlos )
( Autor: Roberto Carlos - 1975 )
( Titulo original: À distância )
( Versão italiana de Cristiano Malgioglio )

Versão italiana Tradução

Non so mai perchè ti dico sempre si,
terstardo io che ti sento più di così
e intanto porto i segni dentro me
per le tue strane follie
per la mia gelosia.

La mia solitudine sei tu,
la mia rabbia vera sei sempre tu,
ora non mi chiedere perchè
se a testa bassa vado via
per ripicca senza te.

Io per orgoglio, io non ti salverei,
e dei tuoi miti cosa ne farei.
Intanto porto i segni dentro me
di un amore che oramai
vive vuoto dentro me.

La mia solitudine sei tu,
l'unico mio appiglio ancora tu,
ora non mi chiedere perchè
se a testa bassa vado via
per ripicca senza te.

Ti manderei all'inferno, questo si,
testardo io che ti sento più di così
e intanto porto i segni dentro me
per le tue strane avventure
per le mie vuote paure.

La mia solitudine sei tu,
la mia rabbia vera sei sempre tu,
ora non mi chiedere perchè
se a testa bassa vado via
per ripicca senza te.

La mia solitudine sei tu,
la mia rabbia vera sei sempre tu,
ora non mi chiedere perchè
se a testa bassa vado via
per ripicca senza te.


Não sei nunca porque te digo sempre sim,
teimoso eu que te sinto mais do que assim
e no entanto porto as marcas dentro mim
pelas tuas estranhas loucuras
pelo meu ciúme.

A minha solidão és tu,
a minha raiva verdadeira és sempre tu,
agora não me perguntar porque
se de cabeça baixa vou embora
por despeito sem ti.

Eu por orgulho, eu não te salvaria,
e dos teus mitos o que eu faria.
No entanto porto as marcas dentro mim
de um amor que agora
vive vazio dentro mim.

A minha solidão és tu,
o único meu pretexto ainda tu,
agora não me perguntar porque
se de cabeça baixa vou embora
por despeito sem ti.

Te mandaria pro inferno, isto sim,
teimoso eu que te sinto mais do que assim
e no entanto porto as marcas dentro mim
pelas tuas estranhas aventuras
pelos meus medos vazios.

A minha solidão és tu,
a minha raiva verdadeira és sempre tu,
agora não me perguntar porque
se de cabeça baixa vou embora
por despeito sem ti.

A minha solidão és tu,
a minha raiva verdadeira és sempre tu,
agora não me perguntar porque
se de cabeça baixa vou embora
por despeito sem ti.