Musica Italiana

Terra lontana

( Canta: Carlo Buti )
( Autores: Bixio - Cherubini - 1941 )

Esta musica é dedicada aos milhões de italianos que, durante as ultimas décadas de 1800 e as primeiras de 1900, empurrados pela mais profunda miseria, tiveram que emigrar para terras desconhecidas com o pranto no coração mas com a íntima esperança de dar um futuro digno aos proprios filhos. Eram, são e serão sempre "Os nossos Herois!".

Original em italiano Tradução

Va la nave silente,
baciata da un raggio lunar.
Trema in cielo una stella
ed il cuore sentiamo tremar.

Quest'è l'ora
che tutti i rimpianti rivivono in te
e guardiamo, con gli occhi sognanti,
lontano, perchè.....

Lontano,
tutti abbiamo una casa,
tutti abbiamo una sposa,
la speranza, l'attesa.

Mentre un faro s'accende sul mar,
noi sognamo, laggiù, un focolar
e una pallida mamma che accende la fiamma
per farci scaldar.

Lontano,
tutti abbiamo una casa,
tutti abbiamo una sposa.
Com'è triste l'attesa!

Dalle sponde vicine e lontane,
con dolce languor,
giunge l'eco di tante campane
che parlano al cuor.

Quella voce, che sa di preghiera,
ci invita a pregar,
sembra dire a chi nulla più spera:
"Ritorna a sperar!"

Lontano,
tutti abbiamo una casa,
tutti abbiamo una sposa,
la speranza, l'attesa.

Ogni stella che brilla, lassù,
è un pensiero, un rimpianto di più,
ogni sguardo più ancora ricerca ed implora
la terra laggiù.

Lontano,
tutti abbiamo una casa,
tutti abbiamo una sposa.
Com'è triste l'attesa!


Vai o navio silencioso,
beijado por um raio da lua.
Treme no céu uma estrela
e o coração sentimos tremer.

Esta e a hora
que todas as saudades revivem dentro
e olhamos, com os olhos sonhadores,
distante, porque.....

Distante,
todos temos uma casa,
todos temos uma esposa,
a esperança, a espera.

Enquanto um farol brilha no mar,
nos sonhamos, bem longe, uma lareira
e uma pálida mãe que acende a flama
para podermos nos aquecer.

Distante,
todos temos uma casa,
todos temos uma esposa.
Como é triste a espera!

Das terras vizinhas e distantes,
com doce langor,
chega o eco de muitos sinos
que falam ao coração.

Aquela voz, que sabe de oração,
nos convida a orar,
parece dizer para quem nada mais espera:
"Volta a esperar!"

Distante,
todos temos uma casa,
todos temos uma esposa,
a esperança, a espera.

Cada estrela que brilha lá no alto,
é um pensamento, uma saudade a mais,
cada olhar busca e implora mais ainda
a terra distante.

Distante,
todos temos uma casa,
todos temos uma esposa.
Como é triste a espera!