Musica Italiana

Suspiranno 'na canzone

( Canta: Fausto Cigliano )
( Autores: E. De Mura - R. Ruocco - 1956 )

Esta musica me foi enviada pelo meu querido amigo italiano Franco Cacciafesta

Original em dialeto napolitano Tradução

Mo lùceno, pe' me, stelle a migliare,
'e stelle cchiù lucente 'e tutt' 'e ssere,
e porto nu mistero dint' 'o core
'mpastato 'e sciure, lacreme e suspire.
Mo lùceno, pe' me, stelle a migliare.

Mme ne vogl' í pe' viche e vecarielle,
suspiranno na canzone cu 'o mandulino.
S' arápeno feneste e fenestelle
e s' affaccia chi durmeva a suonno chino.

Chi allucca e chi mme dice:
"'A vuó' ferní!
Guaglió', mannaggia,
ccá s' ha da durmí!"

Mme perdunate, amice,
ma v'aggi' 'a fá sapé
ca i' sóngo assaje felice
e ca nisciuno è cchiù felice 'e me.

Amice, chiaro e tunno
i' mo ve ll'aggi' 'a dí,
ca femmena cchiù bella 'e tutt' 'o munno,
mm' ha ditte "sí".

Lle sóngo state attuorno ciento amante,
ll' hanno fatto vedé, comm' 'int' 'e cunte,
palazze d'oro e perle 'e ll'Oriente.
Ca mme vò' bene, nun se só' cunvinte.
Lle sóngo state attuorno ciente amante.

Mme ne vogl' í pe' viche e vecarielle,
suspiranno na canzone cu 'o mandulino.
S' arápeno feneste e fenestelle
e s'affaccia chi durmeva a suonno chino.

Chi allucca e chi mme dice:
"'A vuó' ferní!
Guaglió', mannaggia,
ccá s' ha da durmí!"

Mme perdunate, amice,
ma v'aggi' 'a fá sapé
ca i' sóngo assaje felice
e ca nisciuno è cchiù felice 'e me.

Amice, chiaro e tunno
i' mo ve ll'aggi' 'a dí,
ca femmena cchiù bella 'e tutt' 'o munno,
mm' ha ditte "sí".

Chi allucca e chi mme dice:
"'A vuó' ferní!
Guaglió', mannaggia,
ccá s'ha da durmí!"


Agora brilham pra mim, estrelas a milhares,
as estrelas mais brilhantes de todas as noites,
e tenho um mistério dentro do coração
empastado de flores, lagrimas e suspiros.
Agora brilham pra mim, estrelas a milhares.

Quero andar pelas ruas e vielas,
suspirando uma canção com o bandolim.
Abrem-se janelas e janelinhas
e se debruça quem dormia um sono pesado.

Quem grita e quem me diz:
'Quer parar com isso!
Rapaz, puxa vida,
aqui se deve dormir!"

Me desculpem, amigos,
mas quero que saibam
que eu estou muito feliz
e que ninguém é mais feliz do que eu.

Amigos, claro e redondo
agora vos devo dizer,
que a mulher mais bela de todo o mundo,
me disse "sim".

Foi cortejada por cem apaixonados,
lhe mostraram, como nos contos,
palácios de ouro e perolas do Oriente.
Que me quer bem, eles não se convenceram.
Foi cortejada por cem apaixonados.

Quero andar pela ruas e vielas,
suspirando uma canção com o bandolim.
Abrem-se janelas e janelinhas
e se debruça quem dormia um sono pesado.

Quem grita e quem me diz:
'Quer parar com isso!
Rapaz, puxa vida,
aqui se deve dormir!"

Me desculpem, amigos,
mas quero que saibam
que eu estou muito feliz
e que ninguém é mais feliz do que eu.

Amigos, claro e redondo
agora vos devo dizer,
que a mulher mais bela de todo o mundo,
me disse "sim".

Quem grita e quem me diz:
'Quer parar com isso!
Rapaz, puxa vida,
aqui se deve dormir!"