Musica Italiana

Semo gente de borgata

( Cantam I Vianella )
( Autores: F. Califano - M. Piacente - E. Vianello - 1972 )

Original em dialeto romanesco Tradução

'Na stanzetta
n'affitto è trovata,
pe' 'r momento va bbè,
semo gente de borgata,
nun potemo pagà.

Da domani comincia er carvario,
nun c'è artro da fà,
finirà 'sto calendario
e quarcosa cambierà.
Semo ricchi de volontà.

Core mio, core mio,
la speranza nun costa gnente,
quanta gente c'ha tanti sordi e l'amore no.
E stamo mejo noi
che nun magnamo mai.

Core mio, core mio,
la speranza nun costa gnente,
se potrebbe sta' pure mejo,
ma che voi fà,
per ora ce stai tu, e' 'resto ariverà.

Un lavoro,
magari a giornata,
pe' 'r momento va bbè,
semo gente de borgata
che alla vita ce tie'.

Semo nati de povera gente,
è la nostra realtà,
ma de vie ce ne sò tante,
tanti modi pè sfonnà,
ora annamoseli a cercà.

Core mio, core mio,
la speranza nun costa gnente,
quanta gente c'ha tanti sordi e l'amore no.
E stamo mejo noi
che nun magnamo mai.

Core mio, core mio,
se potrebbe sta' pure mejo, ma che voi fà,
per ora ce stai tu, e' 'resto ariverà.
E stamo mejo noi,
che nun magnamo mai!


Um quartinho
 pra alugar é encontrado,
 por enquanto esta bom,
 somos gente de bairro popular,
 não podemos pagar.
 
 Amanha começa o calvário,
 não tem outra coisa a fazer,
 acabará este calendário
 e alguma coisa mudará.
 Somos ricos de vontade.
 
 Coração meu, coração meu,
 a esperança não custa nada,
 quanta gente tem muito dinheiro e o amor não
 E estamos melhor nós
 que não comemos nunca.
 
 Coração meu, coração meu,
 a esperança não custa nada,
 se poderia estar melhor,
 mas o que queres fazer,
 por enquanto tu estás aqui, e o resto chegará.
 
 Um trabalho,
 até por jornada,
 por enquanto está bom,
 somos gente de bairro popular
 que a vida quer viver.
 
 Nascemos de gente pobre,
 é a nossa realidade,
 mas de caminhos ai há muitos,
 muitas maneiras para vencer,
 agora vamos procurá-los.
 
 Coração meu, coração meu,
 a esperança não custa nada,
 quanta gente tem muito dinheiro e o amor não
 E estamos melhor nós
 que não comemos nunca.
 
 Coração meu, coração meu,
 se poderia estar melhor, mas o que queres fazer,
 por enquanto tu estás aqui, e o resto chegará.
 E estamos melhor nós,
 que não comemos nunca!