Musica Italiana

Rondinella forestiera

( Canta: Carlo Buti )
( Autores: Cherubini - Fragna - 1954 )

Original em italiano Tradução

Guarda che bel tramonto,
le stelle si son date appuntamento
mentre col cuore avvinto
sospiri in una lacrima di pianto.

Tu parti e non hai voglia di partire,
tu guardi questo cielo e questo mare,
io so, dalle tue lacrime sincere,
che non potrai scordare il nostro amore.

Arrivederci bella forestiera,
rondinella che parti stasera.
Il nido tuo lontano forse splendido sarà,
ma il cuore col mio cuore incatenato resterà.

Nei sogni sentirai come un tormento
la mia voce velata di pianto,
la voce di quest'anima che ancor sospira a te:
"Ti voglio tanto bene, non ti scordar di me".

Fiori dei verdi colli
che avete ornato i biondi suoi capelli,
fiori celesti e gialli
più non vedrete quegli occhioni belli.

Le labbra ai baci miei si sono chiuse,
un treno la riporta al suo paese.
La luna che dal cielo ci sorrise
è triste come l'ombra delle cose.

Nei sogni sentirai come un tormento
la mia voce velata di pianto,
la voce di quest'anima che ancor sospira a te:
"Ti voglio tanto bene, non ti scordar di me".


Olha que belo pôr-do-sol,
as estrelar marcaram um encontro
enquanto com o coração encantado
suspiras numa lagrima de choro.

Tu estás partindo e não tens vontade de partir,
tu olhas este céu e este mar,
eu sei, pelas tuas lagrimas sinceras,
que não poderás esquecer o nosso amor.

Até logo bela forasteira,
andorinha que partes esta noite.
O teu ninho distante talvez esplendido será,
mas o teu coração com o meu acorrentado restará.

Nos sonhos sentirás como um tormento
a minha voz marcada pelo choro,
a voz desta alma que ainda suspira pra ti:
"Te quero tanto bem, não esquecer-te de mim".

Flores das verdes colinas
que adornastes os seus cabelos loiros,
flores azuis e amarelos
não vereis mais aqueles olhos belos.

Os lábios se fecharam para os meus beijos,
um trem a leva de volta para o seu país.
A lua que do céu nos sorriu
é triste como a sombra das coisas.

Nos sonhos sentirás como um tormento
a minha voz marcada pelo choro,
a voz desta alma que ainda suspira pra ti:
"Te quero tanto bem, não esquecer-te de mim".