Musica Italiana

Ricordate Marcellino

( Canta: Quartetto Cetra )
( Autores: V. Savona - G. Giacobetti - 1956 )
( Inspirado ao filme 'Marcelino pan y vino' dirigido por Ladislao Vajda em 1955 )

Original em italiano Tradução

In questo mondo tanto grande
noi siamo tutti dei piccin,
dagli Appennini alle Ande,
da San Francisco a Pechin.

Ce lo dimostra un raccontino
di quel bambino che è un tesor,
Marcellino pane e vino
che racchiudo qui nel cuor.

Quel piccolo trovatello
è stato deposto un dì
sulla porta del convento
per ripeterci così:

Ricordate Marcellino,
solo pane e solo vino
e un minuscolo lettino.
Marcellino, Marcellino!

Se noi giochiamo a far gli affari
con sottrazioni ed addizion,
noi non vediam che i denari,
sognamo solo i milion.

Dimentichiam le cose belle
e quindi nascono dei guai.
Marcellino pane e vino
non l'avrebbe fatto mai.

I dodici fraticelli,
che l'hanno trovato un dì
sulla porta del convento,
ci ripetono così:

Ricordate Marcellino,
solo pane e solo vino
e un minuscolo lettino.
Marcellino, Marcellino!

Se noi giochiamo a far la guerra
dal Polo Nord all'Equator,
noi rattristiam cielo e terra
con gran fragori e baglior.

Del chiar di luna e delle stelle,
dei prati e fior ti scorderai.
Marcellino pane e vino
non l'avrebbe fatto mai.

I dodici fraticelli,
che l'hanno ospitato un dì,
tra le mura del convento
ci ripetono così:

Ricordate Marcellino,
solo pane e solo vino
e un minuscolo lettino.
Marcellino, Marcellino!

Ricordate Marcellino,
solo pane e solo vino
e un minuscolo lettino.
Marcellino, Marcellin!


Neste mundo tão grande
nós somos todos pequenos,
dos Apeninos aos Ande,
de São Francisco até Pequim.

O demonstra um pequeno conto
daquele menino que é um tesouro,
Marcelino pão e vinho
que conservo aqui no coração.

Aquele pequeno enjeitado
foi depositado um dia
na porta do convento
para repetir-nos assim:

Lembrem-se de Marcelino,
somente pão e somente vinho
e uma minúscula caminha.
Marcelino, Marcelino!

Se nós brincamos de fazer negócios
com subtrações e adições,
nós não vemos que dinheiro,
sonhamos somente os milhões.

Esquecemos das coisa boas
e por isso nascem os problemas.
Marcelino pão e vinho
não o teria feito nunca.

Os doze frades,
que o encontraram um dia
na porta do convento,
nós repetem assim:

Lembrem-se de Marcelino,
somente pão e somente vinho
e uma minúscula caminha.
Marcelino, Marcelino!

Se nós brincamos de fazer a guerra
do Pólo Norte ao Equador,
nós entristecemos céu e terra
com grande fragores e clarões.

Do resplendor da lua e das estrelas,
dos pratos e das flores esquecerás.
Marcelino pão e vinho
não o teria feito nunca.

Os doze frades,
que o encontraram um dia
na porta do convento,
nós repetem assim:

Lembrem-se de Marcelino,
somente pão e somente vinho
e uma minúscula caminha.
Marcelino, Marcelino!

Lembrem-se de Marcelino,
somente pão e somente vinho
e uma minúscula caminha.
Marcelino, Marcelino!