Musica Italiana

Questo vecchio pazzo mondo

( Canta: Gino Santercole )
( Autores: Sloan - Mogol - Beretta - Del Prete - 1966 )
( A musica é uma Cover de "Eve of destruction" de Barry Mc Guire )

Original em italiano Tradução

Non piangere mai più
che questo mondo
non è stato mai rotondo.
Tu carichi il fucile
di chi ti spara
e dopo piangi se
la vita è troppo amara.
E tu sei convinto ancora che
lei ti amava.

Dimmi, dimmi come, come,
come fai a dire
che tu credi
in questo vecchio pazzo mondo.

Tu credevi in lei quasi ciecamente
e credevi in me
che ero il tuo amico.
Ora piangi perchè
lei ti ha tradito con me
e mi domandi perchè
e mi domandi perchè.
Tu sei troppo buono, sai,
per dei tipi come noi.

Dimmi, dimmi come, come,
come fai a dire
che tu credi
in questo vecchio pazzo mondo.

Ehi, amico, perchè
tu non rispondi niente
e guardi me così umilmente.
Perchè ora dovrei avere dei rimorsi
se in questa vita ognuno
riesce ad odiarsi
e mai nessuno, mai, impara ad amare
e tanto meno poi a perdonare.
Amico mio caro dimmi perchè.

Dimmi, dimmi come, come,
come fai a dire
che tu credi
in questo vecchio pazzo mondo.

Perchè negli occhi tuoi
c'è ancora amore
dopo così tanto, tanto dolore.
Perchè ti senti forte e ci perdoni
invece di trattarci come due cani.
E se hai ragione tu, insegnaci ad amare,
a credere di più nel mondo e nel domani.
Insegnaci a soffrire
perchè voglio sentirti dire:

Dimmi come, come,
come fai a dire
che tu credi
in questo vecchio pazzo mondo.

Che tu credi
in questo vecchio pazzo mondo!


Não chorar nunca mais
que este mundo
não foi nunca redondo.
Tu carregas o fuzil
de quem atira em ti
e depois choras se
a vida é demais amarga.
E tu estás convencido ainda que
ela te amava.

Diz-me, diz-me como, como,
como podes dizer
que tu acreditas
neste velho louco mundo.

Tu acreditavas nela quase cegamente
e acreditavas em mim
que era o teu amigo.
Agora choras porque
ela te traiu comigo
e me perguntas porque
e me perguntas porque.
Tu és bom demais, sabes,
para tipos que nem nós.

Diz-me, diz-me como, como,
como podes dizer
que tu acreditas
neste velho louco mundo.

Hei, amigo, porque
tu não respondes nada
e olhas pra mim tão humildemente.
Porque agora eu deveria ter remorsos
se nesta vida cada um
consegue odiar-se
e nunca ninguém, nunca, aprende a amar
e ainda menos depois a perdoar.
Amigo meu querido diz-me porque.

Diz-me, diz-me como, como,
como podes dizer
que tu acreditas
neste velho louco mundo.

Porque nos olhos teus
há ainda amor
depois de tanta, tanta dor.
Porque te sentes fortes e nos perdoas
ao invés de nos tratar como dois cachorros.
E se tu estiver certo, nos ensinas a amar,
a acreditar mais no mundo e no amanha.
Nos ensinas a sofrer
porque quero ouvir-te dizer:

Diz-me como, como,
como podes dizer
que tu acreditas
neste velho louco mundo.

Que tu acreditas
neste velho louco mundo!