Musica Italiana

Qualche filo bianco

( Canta: Odoardo Spadaro )
( Autores: V. Mascheroni - O. Spadaro - 1937 )

Original em italiano Tradução

Il lontano primo amore
si può incontrar per caso un giorno per la via.
Senti tornare dentro il cuore,
di quel tempo, la poesia.

Lì per lì, solo appena si salutano.
Non l'avevi più veduta!
Lei si ferma e dandoti la mano,
questo incontro, dice, com'è strano.

Qualche filo bianco hai,
qualche filo bianco ho anch'io.
Io le chiedo: Cosa fai?
lei risponde: Dimmi tu.

Poi soggiunge: Mi sposai.
Le domando: Sei felice?
Lei mi guarda pensierosa,
poi sorride, non la dice.

Qualche filo bianco hai,
qualche filo bianco ho anch'io,
spero rivederti ancora.
Ma poi ci si dice: Addio!

Il lontano primo amore
si può incontrar per caso la sera in una via.
Tu vuoi gridar: Cuor del mio cuore.
Ma non puoi più dir: Sei mia!

Lì per lì, non ti riconosce e poi
torni nei ricordi suoi.
Lieta è di vederti, ed è sincera,
ripensava a te in questa sera.

Qualche filo bianco hai,
qualche filo bianco ho anch'io.
Io le chiedo: Cosa fai?
Lei risponde: Non lo so.

Poi soggiunde: Un dì t'amai.
Le domando: Sei felice?
Lei mi guarda pensierosa
e con gli occhi tutto dice.

Qualche filo bianco hai,
qualche filo bianco ho anch'io,
spero rivederti ancora.
Ma lei mi risponde: Addio!


O distante primeiro amor
pode-se encontrar por acaso um dia pela rua.
Sentes retornar dentro do coração,
daquele tempo, a poesia.

No ato, apenas se cumprimentam.
Não a havias mais encontrada!
Ela para, e tendendo-te a mão,
este encontro, diz, como é estranho.

Algum fio branco tens,
algum fio branco tenho eu também.
Eu lhe pergunto: O que fazes?
Ela responde: Conta-me de ti.

Depois continua: Casei.
Lhe pergunto: És feliz?
Ela me olha pensativa,
depois sorri, não diz nada.

Algum fio branco tens,
algum fio branco tenho eu também,
espero rever-te ainda.
Mas depois nos dizemos: Adeus!

O distante primeiro amor
pode-se encontrar por acaso de noite pela rua.
Tu querias gritar: Coração do meu coração.
Mas não podes mais dizer: És minha!

No ato não te reconhece e depois
você volta nas suas lembranças.
É feliz de rever-te, e é sincera,
repensava em ti nesta noite.

Algum fio branco tens,
algum fio branco tenho eu também.
Eu lhe pergunto: O que fazes?
Ela responde: Não sei.

Depois continua: Um dia te amei.
Lhe pergunto: És feliz?
Ela me olha pensativa
e com os olhos tudo diz.

Algum fio branco tens,
algum fio branco tenho eu também,
espero rever-te ainda.
Mas ela me responde: Adeus!