Musica Italiana

Non si compra la fortuna

( Canta: Achille Togliani )
( Autores: Redi - Nisa - 1952 )

Original em italiano Tradução

Lungo la strada mi viene vicino
col pappagallino e la gabbia sul cuor.
Ma, zingarella, non ho fortuna,
non sai che pena talvolta è l'amor.

Per pochi soldi tu vendi alla gente
le dolci illusioni che ingannano il cuor,
e c'è chi crede che per le strade
comprar si possa la felicità.

Perchè
mi vuoi tentar.
Perchè
mi vuoi ingannar.

Non si compra la fortuna
per le vie della città,
come l'onda al chiar di luna
la fortuna viene e poi va.

Getta al vento il tuo pianeta,
zingarella, non badar
se una lacrima segreta
sul mio viso discenderà.

Sul foglietto c'era scritto così,
che il mio cuore felice sarà.
Chi l'ha detto? Chi l'ha scritto mentì,
il futuro nessuno lo sa.

Non si compra la fortuna
per le vie della città,
come l'onda al chiar di luna
la fortuna viene e poi va.

Non si compra
la fortuna,
Non si compra
la felicità.

Non si compra la fortuna
per le vie della città,
come l'onda al chiar di luna
la fortuna viene e poi va.

Non si compra
la fortuna,
Non si compra
la felicità.

Non si compra la felicità!


Ao longo da estrada me vem por perto
com o periquito e a gaiola no coração.
Mas, ciganinha, não tenho fortuna,
não sabes que pena as vezes é o amor.

Por pouco dinheiro tu vendes às pessoas
as doces ilusões que enganam o coração,
e existe quem acredite que pelas ruas
comprar se possa a felicidade.

Porque
me queres tentar.
Porque
me queres enganar.

Não se compra a fortuna
pelas ruas da cidade,
como a onda ao claro da lua
a fortuna vem e depois vai.

Joga ao vento o teu folheto,
ciganinha, não reparar
se uma lagrima secreta
sobre meu rosto descerá.

No folheto estava escrito assim,
que o meu coração feliz será.
Quem o disse? Quem o escreveu mentiu,
o futuro ninguém o sabe.

Não se compra a fortuna
pelas ruas da cidade,
como a onda ao claro da lua
a fortuna vem e depois vai.

Não se compra
a fortuna.
Não se compra
a felicidade.

Não se compra a fortuna
pelas ruas da cidade,
como a onda ao claro da lua
a fortuna vem e depois vai.

Não se compra
a fortuna.
Não se compra
a felicidade.

Não se compra a felicidade!