Musica Italiana

'Napule canta

( Canta: Bruno Venturini )
( Autores: Bovio - E. Murolo - E. Tagliaferri - 1915 )

Esta musica me foi enviada pela querida amiga Carmela Caporrino

Original em dialeto napolitano Tradução

Pusílleco se stènne,
quase stracquato 'ncopp''o mare d'oro
comm'a nu ninno ca se vò' addurmí.
Dint''o silenzio, lenta, 'a notte scenne,
passa na varca e canta 'o marenaro:
"Scétate ammore, comme puó' durmí!".

Chitarre e manduline,
stanotte 'o core mio ve vò' sentí.
Chella ca mme vò' bene,
dint'a sti ssere, comme pò durmí
si tutta quanta Napule,
'nterra Pusílleco vène a cantá.

Lùceno 'e lume a mare,
ll'èvera 'e mare addora e cu st'addore
se jénche ll'aria e cchiù addurosa 'a fa.
Sbáttono 'nfacci'a 'e scoglie ll'onne chiare,
suspírano 'e ciardine: "E' primmavera".
Ll'ammore passa, ride e se ne va.

Chitarre e manduline,
stanotte 'o core mio ve vò' sentí.
Chella ca mme vò' bene,
dint'a sti ssere, comme pò durmí,
si tutta quanta Napule,
'nterra Pusílleco, vène a cantá.

Napule bella mia,
terra d'ammore, lacreme e canzone,
che suonno d'oro ca nce faje sunná!
'Ncòre nce miette na malincunía,
na freva tu nce miette dint''e vvéne
pecché nce vuó' fá chiagnere e cantá.

Si tutta quanta Napule,
'nterra Pusílleco, vène a cantá!


Posillipo se estica,
quase deitado sobre o mar dourado
como um menino que quer dormir.
No silencio, lenta a noite desce,
passa um barco e canta o marinheiro:
"Acorda amor, como podes dormir!".

Guitarras e bandolins,
esta noite o meu coração quer ouvir-vos.
Aquela que me quer bem,
em noites como esta, como pode dormir
se toda inteira Nápoles,
em terra de Posillipo vem a cantar.

Brilham as luzes no mar,
as algas perfumam e deste perfume
se enche o ar e mais perfumado se torna.
Batem nos recifes as ondas claras,
suspiram os jardins: "É' primavera".
O amor passa, ri e vai embora.

Guitarras e bandolins,
esta noite o meu coração quer ouvir-vos.
Aquela que me quer bem,
em noites como esta, como pode dormir
se toda inteira Nápoles,
em terra de Posillipo vem a cantar.

Nápoles bela minha,
terra de amor, lagrimas e canções,
que sonhos dourados nos fazes sonhar!
No coração nos metes uma melancolia,
uma febre tu nos metes nas veias
porque quer fazer-nos chorar e cantar.

Se toda Nápoles,
em terra de Posillipo vem a cantar!