Musica Italiana

Miniera

( Canta: Luciano Virgili )
( Autores: B. Cherubini - C. A. Bixio - 1927 )

Agradeço de coração o meu amigo Lanfranco Marsili por ter-me enviado esta musica. Ela evidencia a vida e a morte dos mineiros italianos que foram forçados a emigrar para terras distantes. A eles uma lembrança e uma homenagem.

Original em italiano Tradução

Allor che in ogni bettola messicana
danzano tutti al suono dell'avaiana,
vien da lontano un canto così accorato!
È un minatore bruno laggiù emigrato.
La sua canzone sembra di un esiliato:

"Cielo di stelle, cielo color del mare,
tu sei lo stesso ciel del mio casolare.
Portami in sogno verso la Patria mia,
portale un cuor che muore di nostalgia".

Nella miniera è tutto un baglior di fiamme,
piangono bimbi, spose, sorelle e mamme.
Ma a un tratto il minator dal volto bruno
dice agli accorsi: "Se titubate ognuno,
io solo andrò laggiù, che non ho nessuno".

E nella notte un grido solleva i cuori:
"Mamme son salvi, tornano i minatori!"
Manca soltanto quello dal volto bruno,
ma per salvare lui non c'è nessuno.


Assim que em cada taverna mexicana
dançam todos ao som da havaiana,
vem de longe um canto tão angustiado!
É um mineiro moreno lá emigrado.
A sua canção parece a de um exilado:

"Céu de estrelas, céu da cor do mar,
tu és o mesmo céu da minha casinha.
Leva-me em sonho para a Pátria minha,
leva pra ela um coração que morre de saudade".

Na mina é tudo um fulgor de flamas,
choram meninos, esposas, irmãs e mamães.
Mas de repente o mineiro do rosto moreno
diz aos acorridos: "Se vocês hesitam,
eu sozinho irei lá, pois não tenho ninguém".

E na noite um grito levanta os corações:
"Mamães são salvos, voltam os mineiros!"
Falta somente aquele do rosto moreno,
mas para salvar ele não tem ninguém.