Musica Italiana

Ma poi

( Canta: Walter Valdi )
( Autor: Walter Valdi - 1974 )
( Desventura amorosa de um milanês )

Original em italiano Tradução

Un giorno, una distrazione,
io l'ho incontrata in quel viale
che a Milano, dal Parco,
porta alla Stazione Nord.
Ed è stata una cosa!


Lungo il viale, che dal Parco,
porta alla Stazione Nord,
l'ho incontrata, favolosa,
su una favolosa Sport.

L'ho guardata, mi ha guardato
e io lì ho capito che
finalmente era arrivato
il grande amore anche per me.

Mi ha portato in un locale
con giù tutta la moquette.
Cena a base di caviale,
di champagne e crepes suzettes.

Io mi son sentito male
quando ho letto l'adition,
poi ho preso il mio mensile
e gliel'ho dato al garçon.

Ma poi, ma poi,
mi ha detto "Fai di me quello che vuoi",
per una sera sono stato anch'io un playboy,
un miliardario, un gangster, un cowboy.

Ma poi, ma poi,
mi son perso nel blu degli occhi suoi,
la mia soffitta era più bella del Savoy,
non ero più a Milano, ero alle Hawai.

È passato un mese e mezzo,
sono ancora in mezzo ai guai,
il mensile e tutto il resto
si è portato via con lei.

Il libretto dei risparmi,
la posateria per sei,
l'album con i francobolli
e tutti quanti i sogni miei.

Ma non ho nessun rimpianto,
io non rimpiangerò mai
quel che posso aver bruciato
quella sera insieme a lei.

Per un attimo di vita
arrivato in una Sport
lungo il viale, che dal Parco,
porta alla Stazione Nord.

Ma poi, ma poi,
mi ha detto "Fai di me quello che vuoi",
per una sera sono stato anch'io un playboy,
un miliardario, un gangster, un cowboy.

Ma poi, ma poi,
mi son perso nel blu degli occhi suoi,
la mia soffitta era più bella del Savoy,
non ero più a Milano, ero alle Hawai.

Ma poi, ma poi,
mi ha detto "Fai di me quello che vuoi",
per una sera sono stato anch'io un playboy,
un miliardario, un gangster, un cowboy.

Ma poi, ma poi,
mi son perso nel blu degli occhi suoi,
la mia soffitta era più bella del Savoy,
non ero più a Milano, ero alle Hawai.


Um dia, uma distracção,
eu a encontrei naquela avenida
que a Milão, do Parque,
leva para a Estação Norte.
E foi uma coisa!


Ao longo da avenida, que do Parque,
leva para a Estação Norte,
a encontrei, fabulosa,
sobre uma fabulosa Esport.

A olhei, me olhou
e aí eu entendi que
finalmente havia chegado
o grande amor também pra mim.

Me levou para um local
com o piso tudo de moquette.
Ceia a base de caviar,
de champanhe e crepes suzettes.

Eu passei mal
quando lí a conta,
depois peguei meu salário do mês
e o entreguei para o garçon.

Mas depois, mas depois,
me disse "Faz de mim o que quiser",
por uma noite fui eu também um playboy,
um bilionário, um gangster, um cowboy.

Mas depois, mas depois,
me perdi no azul dos olhos seus,
o meu quartinho era mais belo que o Savoy,
não estava mais em Milão, estava no Hawai.

Passou um mês e meio,
estou ainda nadando nos problemas,
a mesada e tudo o restante
levou embora com ela.

A caderneta da poupança,
o serviço de talheres por seis pessoas,
o álbum com os selos
e todos os sonhos meus.

Mas não tenho nenhum arrependimento,
eu não chorarei nunca
sobre aquilo que posso ter queimado
naquela noite com ela.

Por um átimo de vida
viajando numa Esport
ao longo da avenida, que do Parque,
leva para a Estação Norte.

Mas depois, mas depois,
me disse "Faz de mim o que quiser",
por uma noite fui eu também um playboy,
um bilionário, um gangster, um cowboy.

Mas depois, mas depois,
me perdi no azul dos olhos seus,
o meu quartinho era mais belo que o Savoy,
não estava mais em Milão, estava no Hawai.

Mas depois, mas depois,
me disse "Faz de mim o que quiser",
por uma noite fui eu também um playboy,
um bilionário, um gangster, um cowboy.

Mas depois, mas depois,
me perdi no azul dos olhos seus,
o meu quartinho era mais belo que o Savoy,
não estava mais em Milão, estava no Hawai.