Musica Italiana

Lucciole vagabonde

( Canta: Aurelio Fierro )
( Autores: Cherubini - C. A. Bixio - 1927 )

Original em italiano Tradução

Quando più fitta l'oscurità
scende sulla città,
lucciole ansiose di libertà
noi lasciamo i bassifondi.

Senza una meta c'incamminiam
e sotto ad un lampion,
quando la ronda non incontriam,
cantiamo la canzon:

Noi siam come le lucciole,
brilliamo nelle tenebre,
schiave d'un mondo brutal
noi siamo i fiori del mal.

Se il nostro cuor vuol piangere,
noi pur dobbiam sorridere
danzando sui marciapiè
finchè la luna c'è.

Pallida luna soltanto tu
la nostra gioventù
vedi ogni notte appassir di più
come un fiore senza sole.

Ma se il destino ci spezzerà
nel cuore la canzon,
solo il coraggio ci bacerà
all'ombra del bastion.

Noi siam come le lucciole,
brilliamo nelle tenebre,
schiave d'un mondo brutal
noi siamo i fiori del mal.

Se il nostro cuor vuol piangere
noi pur dobbiam sorridere
danzando sui marciapiè
finchè la luna c'è.

Se il nostro cuor vuol piangere
noi pur dobbiam sorridere
danzando sui marciapiè
finchè la luna c'è.


Quando mais densa a escuridão
desce sobre a cidade,
pirilampos ansiosos de liberdade
nós deixamos os baixos.

Sem uma meta caminhamos,
em baixo de um lampião,
quando a ronda não encontramos,
cantamos a canção:

Nós somos como os pirilampos,
brilhamos na escuridão,
escravas de um mundo brutal
nós somos as flores do mal.

Se o nosso coração quer chorar,
nós temos que sorrir
dançando nas calçadas
até quando tem a lua.

Pálida lua somente tu
a nossa juventude
vês murchar a cada noite mais
como uma flor sem sol.

Mas se o destino nos quebrará
no coração a canção,
somente a coragem nos beijará
na sombra do bastião.

Nós somos como os pirilampos,
brilhamos na escuridão,
escravas de um mundo brutal
nós somos as flores do mal.

Se o nosso coração quer chorar,
nós temos que sorrir
dançando nas calçadas
até quando tem a lua.

Se o nosso coração quer chorar,
nós temos que sorrir
dançando nas calçadas
até quando tem a lua.