Musica Italiana

Lodovico

( Canta: Vittorio de Sica )
( Autores: V. Mascheroni - L. Ramo - 1931 )

Original em italiano Tradução

Fra tanti amici miei, ci sta un amico
e ve lo dico, è Lodovico,
che degli amici è l’araba fenice,
la Beatrice che fa felice.

Domandagli un favor, te ne fa due,
gli cerchi mille lire e sono tue,
e se gli chiedi il naso, non si sbaglia
lui se lo taglia e te lo dà.

Lodovico, sei proprio un vero amico
di stampo antico, non sai dir no.
Lodovico, sei dolce come un fico
più caro amico di te non ho.

Mi daresti, se lo voglio, l’orologio, il portafoglio
ed il vestito col cappello con l’ombrello e tua sorella.
Lodovico, sei dolce come un fico
più caro amico di te non ho.

Aveva una ragazza, Lodovico,
che non vi dico, un quadro antico.
Siccome mi piaceva gliela chiesi
per pochi mesi, restammo intesi.

Ma quando la ragazza un certo giorno
con un bimbetto biondo fè ritorno
io dissi a Lodovico: “Amico mio,
non sono io, sei tu il papà”.

Lodovico, sei proprio un vero amico
di stampo antico, non sai dir no.
Lodovico, sei dolce come un fico
più caro amico di te non ho.

Mi daresti, se lo voglio, l’orologio, il portafoglio
ed il vestito col cappello con l’ombrello e tua sorella.
Lodovico, sei dolce come un fico
più caro amico di te non ho.

Mi daresti, se lo voglio, l’orologio, il portafoglio
ed il vestito col cappello con l’ombrello e tua sorella.
Lodovico, sei dolce come un fico
più caro amico di te non ho.


Entre tantos amigos meus, há um amigo
e vos digo, é Ludovico,
que dos amigos é a Fênix do Oriente,
a Beatriz que nos faz felizes.

Pede-lhe um favor, ele faz dois,
pede-lhe mil reais e são teus,
e se tu pedes o nariz, não tem erro,
ele corta seu nariz e o dá pra ti.

Ludovico, tu és mesmo um verdadeiro amigo,
do tipo antigo, não sabes dizer não.
Ludovico, tu és doce como um figo,
mais querido amigo do que ti eu não tenho.

Me darias, se eu quisesse, o relógio, a carteira
e o terno com o chapéu, com o guarda-chuva e tua irmã.
Ludovico, tu és doce como um figo,
mais querido amigo do que ti eu não tenho.

Havia uma garota, Ludovico,
que eu vos digo, um quadro antigo.
Considerado que eu gostava, a pedi emprestada
por alguns poucos meses, fizemos o acordo.

Ma quando a garota um certo dia
voltou com um bebê loiro
eu disse a Ludovico: “Amigo meu,
não sou eu, és tu o papai”.

Ludovico, tu és mesmo um verdadeiro amigo,
do tipo antigo, não sabes dizer não.
Ludovico, tu és doce como um figo,
mais querido amigo do que ti eu não tenho.

Me darias, se eu quisesse, o relógio, a carteira
e o terno com o chapéu, com o guarda-chuva e tua irmã.
Ludovico, tu és doce como um figo,
mais querido amigo do que ti eu não tenho.

Me darias, se eu quisesse, o relógio, a carteira
e o terno com o chapéu, com o guarda-chuva e tua irmã.
Ludovico, tu és doce como um figo,
mais querido amigo do que ti eu não tenho.