Musica Italiana

Le tue mani su di me

( Canta: Antonello Venditti )
( Autor: Antonello Venditti - 1973 )

Original em italiano Tradução

Le tue mani su di me,
è difficile chiamarti amore
quando basta aprire una finestra per capire
un'altra verità.

Le tue mani su di me,
è difficile chiamarti amore
quando il mondo sta vivendo,
sul tuo corpo innamorato, la sua vanità.

Una foglia stupida
cade a caso sull'asfalto e se ne va.
Una fabbrica occupata sulle nuvole
e un fucile che rimpiange Waterloo.

Un bambino che domanda come è nato,
si risponde sorridendo che lo sa.
Il bicchiere di cristallo sta cadendo,
non amarmi, non amarti, non ti riuscirà.

Le tue mani su di me,
è difficile chiamarmi amore
quando basta aprire una finestra per capire
un'altra verità.

Le tue mani su di me,
è difficile chiamarti amore
quando il mondo sta vivendo,
sul tuo corpo innamorato, la sua vanità.

Una foglia stupida
cade a caso sull'asfalto e se ne va.
Una fabbrica occupata sulle nuvole
e un fucile che rimpiange Waterloo.

Un bambino che domanda come è nato,
si risponde sorridendo che lo sa.
Il bicchiere di cristallo sta cadendo,
non amarmi, non amarti, non ti riuscirà.

Ra ra ra ra ra..........


As tuas mãos sobre mim,
é difícil chamar-te amor
quando basta abrir uma janela para entender
uma outra verdade.

As tuas mãos sobre mim,
é difícil chamar-te amor
quando o mundo está vivendo,
sobre o teu corpo apaixonado, a sua vaidade.

Uma folha estúpida
cai a caso sobre o asfalto e voa embora.
Uma fabrica ocupada sobre as nuvens
e um fuzil que tem saudade de Waterloo.

Um menino que pergunta como nasceu,
se responde sorrindo que o sabe.
O copo de cristal está caindo,
não amar-me, não amar-te, não serás capaz.

As tuas mãos sobre mim,
é difícil chamar-me amor
quando basta abrir uma janela para entender
uma outra verdade.

As tuas mãos sobre mim,
é difícil chamar-te amor
quando o mundo está vivendo,
sobre o teu corpo apaixonado, a sua vaidade.

Uma folha estúpida
cai a caso sobre o asfalto e voa embora.
Uma fabrica ocupada sobre as nuvens
e um fuzil que tem saudade de Waterloo.

Um menino que pergunta como nasceu,
se responde sorrindo que o sabe.
O copo de cristal está caindo,
não amar-me, não amar-te, não serás capaz.

Ra ra ra ra ra..........