Musica Italiana

Le rose rosse

( Canta: Carlo Buti )
( Autor: E. A. Mario - 1919 )

Original em italiano Tradução

Tutte le rose di tutti i roseti
vorrebbe il cuore soltanto per sé.
Tutte le rose dei giorni più lieti,
or che ogni cuore più triste non è.
E si fan tenere, le bocche baciano,
baciano e fremono tra i prati in fior.

Cuore, so che vuoi goder,
so che vuoi per te
rose d’ogni color.
Ma, le rose rosse, no!
Non le voglio veder.
Non le voglio veder.

So d’un giardino che fu devastato
poiché la guerra feroce vi entrò.
Tutto il terreno di sangue arrossato,
sangue che tutte le rose macchiò.
E rosseggiarono corolle e petali
in fronte al tepido bacio del sol.

Cuore, so che vuoi goder,
so che vuoi per te
rose d’ogni color.
Ma, le rose rosse, no!
Non le voglio veder.
Non le voglio veder.

Torni il bel maggio e il ricordo cancelli
d’un tempo tristo che alfine passò.
Tutti i colori più vaghi e più belli
vegga fiorir chi sofferse d’amor.
Ma non ritornino le rosse immagini
che ci ricordano tanti dolor.

Cuore, so che vuoi goder,
so che vuoi per te
rose d’ogni color.
Ma, le rose rosse, no!
Non le voglio veder.
Non le voglio veder!


Todas as rosas de todos os roseirais
queria o coração somente pra sim.
Todas as rosas dos dias mais felizes,
agora que cada coração mais triste não está.
E tornam-se tenras, as bocas beijam,
beijam e fremem entre os pratos em flor.

Coração, sei que queres prazer,
sei que queres pra ti
rosas de cada cor.
Mas, as rosas vermelhas, não!
Não as quero ver.
Não as quero ver.

Sei de um jardim que foi devastado
pois a guerra feroz aí entrou.
Todo o terreno de sangue avermelhado,
sangue que todas as rosa manchou.
E avermelharam corolas e pétalas
em frente ao tépido beijo do sol.

Coração, sei que queres prazer,
sei que queres pra ti
rosas de cada cor.
Mas, as rosas vermelhas, não!
Não as quero ver.
Não as quero ver.

Volte o belo maio e a lembrança cancele
de um tempo triste que por fim passou.
Todas as cores mais vagas e mais belas
veja florescer quem sofreu de amor.
Mas não voltem as vermelhas imagens
que nos lembram tantas dores.

Coração, sei que queres prazer,
sei que queres pra ti
rosas de cada cor.
Mas, as rosas vermelhas, não!
Não as quero ver.
Não as quero ver!