Musica Italiana

Lazzarella

( Canta: Aurelio Fierro )
( Autores: D. Modugno - R. Pazzaglia - 1957 )

Original em dialeto napolitano Tradução

Cu 'e libbre sott''o vraccio
e 'a camicetta a fiore blu,
vuó' fá 'a signurenella
'nnanz'â scola pure tu.

Te piglie 'a sigaretta
quann''accatte pe' papá,
te miette giá 'o rrussetto
comme vide 'e fá a mammá.

Lazzarè!

Ma Lazzarella comme si,
a me mme piace sempe 'e cchiù,
e vengo apposta pe' t''o ddí,
vicino â scola d''o Gesù.

Tu invece mme rispunne: "Eggiá,
i' devo retta proprio a te.
Pe' me ll'ammore pó aspettá,
che n'aggi'a fá? Nun fa pe' me!"

Ah, Lazzarella, ventata 'e primmavera!
Quanno passe tutt''e mmatine
giá te spiecchie dint''e vvetrine,
sulo nu cumplimento te fa avvampá.

Ma Lazzarella comme si,
tu nun mme pienze proprio a me,
e ride pe' mm''o ffá capí
ca perdo 'o tiempo appriess'a te.

Mo vène nu studente
'nnanz'â scola d''o Gesù.
Te va sempe cchiù astretta
'a camicetta a fiore blu.

Te piglie quatto schiaffe
tutt''e vvote ca papá
te trova nu biglietto
ca te scrive chillu llá.

Lazzarè!

Ma Lazzarella comme si,
a me mme piace sempe 'e cchiù,
e vengo apposta pe' t''o ddí,
vicino â scola d''o Gesù.

Tu invece mme rispunne: "Eggiá,
i' devo retta proprio a te.
Pe' me ll'ammore pó aspettá,
che n'aggi'a fá? Nun fa pe' me!"

Ah, Lazzarella, ventata 'e primmavera!
Quanno passe tutt''e mmatine
giá te spiecchie dint''e vvetrine,
sulo nu cumplimento te fa avvampá.

Ma Lazzarella comme si,
tu nun mme pienze proprio a me,
e ride pe' mm''o ffá capí
ca perdo 'o tiempo appriess'a te.

Tu invece mme rispunne: "Eggiá,
i' devo retta proprio a te.
Pe' me ll'ammore pó aspettá,
che n'aggi'a fá? Nun fa pe' me!"

Ah, Lazzarella, 'o tiempo comme vola!
Mo te truove tutt''e mmatine,
chino 'e lacreme stu cuscino.
Manco na cumpagnella te pò aiutá.

Ma Lazzarella comme si,
te si' cagnata pure tu.
E 'n' ata vota dice "Sí",
ma dint''a cchiesa d''o Gesù!

Lazzarè!
Perdo 'o tiempo appriess'a te!


Com os livros em baixo do braço
e a camiseta a flores azuis,
queres fazer a senhorita
em frente a escola também tu.

Tu pegas um cigarro
quando os compras para papai,
coloca já o batom
como vê fazer a sua mãe.

Lazzarella!

Mas Lazzarella como és,
eu gosto de ti sempre mais,
e venho de propósito para dizê-lo,
perto da escola do Jesus.

Tu ao invés me respondes: "Mas vai,
eu devo escutar próprio a ti.
Para mim o amor pode esperar,
O que vou fazer com ele? Não é para mim!"

Ah, Lazzarella, ventada de primavera!
Quando passas todas as manhãs,
já te espelhas nas vitrines,
somente um elogio te faz corar.

Mas Lazzarella como és,
tu não pensas próprio em mim,
e ris para fazer eu entender
que perco o tempo atrás de ti.

Agora vem um estudante
em frente á escola do Jesus.
Te está sempre mais estreita
a camiseta a flores azuis.

Levas quatro bofetadas
todas as vezes que papai
encontra um bilhete
que te escreve aquele lá.

Lazzarella!

Mas Lazzarella como és,
eu gosto de ti sempre mais,
e venho de propósito para dizê-lo,
perto da escola do Jesus.

Tu ao invés me respondes: "Mas vai,
eu devo escutar próprio a ti.
Para mim o amor pode esperar,
O que vou fazer com ele? Não é para mim!"

Ah, Lazzarella, ventada de primavera!
Quando passas todas as manhãs,
já te espelhas nas vitrines,
somente um elogio te faz corar.

Mas Lazzarella como és,
tu não pensas próprio em mim,
e ris para fazer eu entender
que perco o tempo atrás de ti.

Tu ao invés me respondes: "Mas vai,
eu devo escutar próprio a ti.
Para mim o amor pode esperar,
O que vou fazer com ele? Não é para mim!"

Ah, Lazzarella, o tempo como voa!
Agora encontras todas as manhãs,
cheio de lagrimas este travesseiro.
Nem uma amiguinha te pode ajudar.

Mas Lazzarella como és,
mudaste também tu.
E outra vez diga "Si",
mas dentro a igreja do Jesus!

Lazzarella!
Perco o tempo atrás de ti!