Musica Italiana

La porti un bacione a Firenze

( Canta: Odoardo Spadaro )
( Autores: E. Di Lazzaro - C. Bruno - 1938 )

Original em dialeto toscano Tradução

Porti un bacione a Firenze!
Oh! Oh!


Partivo una mattina co' vapore,
e una bella bambina gli arrivò.
Vedendomi la fa: Scusi signore!
Perdoni, l'è di' ffiore, sì lo so.
Lei torna a casa lieto, ben lo vedo,
ed un favore piccolo gli chiedo.

La porti un bacione a Firenze,
che l'è la mia città
che in cuore ho sempre qui.
La porti un bacione a Firenze,
lavoro sol per rivederla un dì.

Son figlia d'emigrante,
per questo son distante,
lavoro perchè un giorno a casa tornerò.
La porti un bacione a Firenze:
se la rivedo, glielo renderò.

Bella bambina! Le ho risposto allora.
A' ccasa il tuo bacione porterò.
E per tranquillità fin da quest'ora,
in viaggio chiuso a chiave lo terrò.
Ma appena giunto a' ccasa te lo giuro,
il bacio verso i' ccielo andrà sicuro.

Io porto il tuo bacio a Firenze
che l'è la tua città
ed anche l'è di me.
Porto il tuo bacio a Firenze
nè mai, giammai potrò scordarmi te.

Sei figlia d'emigrante,
per questo sei distante,
lavori perchè un giorno a' ccasa tornerai.
Porto il tuo bacio a Firenze
e da Firenze tanti baci avrai.

L' è vera questa storia e se la un fosse,
la può passar pe' vera, sol perchè
so bene i' lucciconi e quanta tosse
gli ha chi distante dalla Patria gli è.
Così ogni fiorentino ch'è lontano,
vedendoti partir ti dirà piano:

La porti un bacione a Firenze,
che l'è la mia città
che in cuore ho sempre qui.
La porti un bacione a Firenze,
lavoro sol per rivederla un dì.


La nostra cittadina
pettegola e carina,
la ci ha tant'anni, eppure
la un n'invecchia mai.
Io porto bacioni a Firenze
di tutti i fiorentini che incontrai.

Firenze, oh mia città!


Leve um beijão para Florença!
Oh! Oh!


Eu partia uma manhã de navio,
e uma bela menina aí chegou.
Olhando-me diz: Desculpe senhor!
Perdão, és de Florença, sim eu sei.
O Senhor volta para casa feliz, estou vendo,
e um pequeno favor aqui lhe peço.

Leve um beijão para Florença,
que é a minha cidade
que tenho sempre aqui no coração.
Leve um beijão para Florença,
trabalho só para revê-la um dia.

Sou filha de emigrante,
por isso estou distante,
trabalho porque um dia à casa voltarei.
Leve um beijão para Florença,
se o reencontrar, lhe devolverei.

Bela menina! Lhe respondi então.
A casa o seu beijão levarei.
E por segurança desde já,
na viagem fechado à chave o manterei.
Mas assim que chegar á casa, eu lhe juro,
o beijo na direção do céu irá certamente.

Eu levo seu beijo para Florença
que é a sua cidade
e é a minha também.
Levo seu beijo para Florença
e nunca, nunca poderei esquecer você.

És filha de emigrante,
por isso está distante,
trabalha porque um dia pra casa voltará.
Levo seu beijo para Florença
e de Florença muitos beijos você terá.

Essa história é verdadeira, e se não fosse,
pode passar por verdadeira, só porque
eu sei bem as lágrimas e quantos soluços
dá quem está distante da Pátria.
Assim cada florentino que está distante,
vendo-o partir dirá baixinho:

Leve um beijão para Florença,
que é a minha cidade
que tenho sempre aqui no coração.
Leve um beijão para Florença,
trabalho só para revê-la um dia.


Nossa cidadezinha
mexeriqueira e bonita,
tem muitos anos, contanto
não envelhece nunca.
Eu levo os beijões para Florença
de todos os florentinos que encontrei.

Florença, oh minha cidade!