Musica Italiana

La pelle nera

( Canta: Nino Ferrer )
( Autor: Nino Ferrer - 1967 )

Original em italiano Tradução

Ehi, ehi, ehi, dimmi Wilson Pickett,
ehi, ehi, ehi, dimmi tu James Brown:
Questa voce dove la trovate?
Signor King, signor Charles, signor Brown,
io faccio tutto per poter cantar come voi
ma non c'è niente da fare,
non ci riuscirò mai
e penso che sia soltanto
per il mio color che non va.

Ecco perché io vorrei,
vorrei la pelle nera!
Vorrei la pelle nera!

Ehi, ehi, ehi, dimmi tu signor Lawis,
ehi, ehi, ehi, dimmi come si può
arrostire un negretto ogni tanto
con la massima serenità?
Io mi dico, Nino,
tu non ci dovresti pensar,
ma non c'è niente da fare per dimenticar
sto maledetto colore di pelle
che mi brucia un pò.

Ecco perché io vorrei,
vorrei la pelle nera!
Vorrei la pelle nera!

Ehi, ehi, ehi, voi carissimi estinti
Ehi, ehi, ehi, voi che sapete già,
voi che cantate gloriosamente
per i pascoli dell'aldilà,
ditemi se per entrare nel regno con voi
basta che ognuno
si occupi dei fatti suoi
o se è tutto un affare
di razza e color come qui.

Ad ogni modo vorrei,
vorrei la pelle nera!
Vorrei la pelle nera!
Vorrei la pelle nera!
Vorrei la pelle nera!
Nera, nera, nera!

E poi vorrei stare laggiù,
abitare a New Orleans,
ascoltare il Mississipi
fare a pugni con gli amici,
tutti neri i musicisti,
saper suonare la tromba,
poter parlare l'inglese,
l'italiano non funziona
per questa musica qui.

Poi vorrei poter gridar
yeah yeah yeah yeah yeah!
All right!


Oi, oi, oi, diga-me Wilson Pickett,
 oi, oi, oi, diga-me você James Brown:
 Esta voz onde a encontrais?
 Senhor King, senhor Charles, senhor Brown,
 eu faço de tudo para poder cantar como vocês
 mas não há nada a fazer,
 não conseguirei nunca
 e penso que seja somente
 pela minha cor que não está certa.
 
 Eis porque eu queria,
 queria a pele negra!
 Queria a pele negra!
 
 Oi, oi, oi, diga-me você senhor Lawis,
 oi, oi, oi, diga-me como se pode
 assar um negrinho de vez em quando
 com a máxima serenidade?
 Eu me digo, Nino,
 você não deveria pensar nisso,
 mas não há nada a fazer para esquecer
 esta maldita cor da pele
 que me queima um pouco.
 
 Eis porque eu queria,
 queria a pele negra!
 Queria a pele negra!
 
 Oi, oi, oi, vocês queridíssimos extintos.
 Oi, oi, oi, vocês que já sabeis,
 vocês que cantais gloriosamente
 pelos pastos do além,
 me digam se para entrar no reino com vocês
 basta que cada um
 se ocupe dos fatos seus
 ou se é tudo um negocio
 de raça e cor como aqui.
 
 De qualquer forma queria,
 queria a pele negra!
 Queria a pele negra!
 Queria a pele negra!
 Queria a pele negra!
 Negra, negra, negra!
 
 E depois queria estar lá,
 morar em New Orleans,
 escutar o Mississipi
 trocar socos com os amigos,
 todos negros os músicos,
 saber tocar o trompete,
 poder falar o inglês,
 o italiano não funciona
 para esta musica aqui.
 
 Depois queria poder gritar
 yeah yeah yeah yeah yeah!
 All right!