Musica Italiana

La mia canzone al vento

( Canta: O Tenor Luciano Pavarotti )
( Autores: Bixio - Cherubini - 1940 )

Original em italiano Tradução

Sussurra il vento come quella sera,
vento d'aprile, di primavera,
che il volto le sfiorava in un sospiro
mentre il suo labbro ripeteva: giuro.
Ma pur l'amore è un vento di follia
che fugge come sei fuggita tu.

Vento, vento portami via con te,
raggiungeremo insieme il firmamento,
dove le stelle brilleranno a cento,
e senza alcun rimpianto
voglio scordarmi un tradimento.
Vento, vento portami via con te.

Tu passi lieve come una chimera,
vento d'aprile, di primavera.
Tu che lontano puoi sfiorarla ancora,
dille ch'io l'amo ed il cuor mio l'implora,
dille ch'io fremo dalla gelosia
solo al pensiero che la baci tu.

Vento, vento portami via con te,
tu che consoci tutte le mie pene,
dille che ancor le voglio tanto bene.
Sotto le stelle chiare
forse ritornerà l'amore.
Vento, vento portami via con te.

Sotto le stelle chiare
forse ritornerà l'amore.
Vento, vento portami via con te.

Sussurra il vento come quella sera,
perchè non torni,
è primavera!


Sussurra o vento como naquela noite,
vento de abril, de primavera,
que o rosto lhe cariciava num suspiro
enquanto seu lábio repetia: juro.
Ma também o amor é um vento de loucura
que foge como fugiste tu.

Vento, vento leva-me embora contigo,
alcançaremos juntos o firmamento,
onde as estrelas brilharão a cem,
e sem alguma saudade
quero esquecer uma traição.
Vento, vento leva-me embora contigo.

Tu passas leve como uma quimera,
vento de abril, de primavera.
Tu que longe a podes cariciar ainda,
diz a ela que eu a amo e o coração meu a implora,
diz a ela que eu tremo pelo ciúme
somente pensando que a beijas tu.

Vento, vento leva-me embora contigo,
tu que conheces todas as minhas penas,
diz a ela que ainda lhe quero tanto bem.
Sob as estrelas claras
talvez voltará o amor.
Vento, vento leva-me embora contigo.

Sob as estrelas claras
talvez voltará o amor.
Vento, vento leva-me embora contigo.

Sussurra o vento come naquela noite,
porque não voltas,
é primavera!