Musica Italiana

La Ghirlandéina

( Canta: Luciano Pavarotti & Corale Rossini )
( Autores: C. Martuzzi - V. Cavazzuti Tenca - F. Saguatti - 1939 )
( Re-elaboração da musica "A Gramadora" de C. Martuzzi - A. Spallicci - 1928 )

Agradeço a gentil Milena Cappi da Associação de Voluntariado "Comitato Anziani Crocetta"
de Modena por ter-me enviado a tradução da musica e outras informações úteis.

O termo "Ghirlandéina" refere-se à "Ghirlandina" que é a Torre Campanária da catedral de Modena e que no tempo tornou-se o símbolo da cidade. Ela deve seu nome às duas coroas de corrimão que a adornam como fossem grinaldas (ghirlande). Sublinho que o saudoso Luciano Pavarotti nasceu exatamente em Modena, cidade que ele tanto amou.

Original em dialeto modenês Tradução

Ghirlandèina, véta mia,
t’è por bèla. Csa t’em piès!
Vè che Tarr! Che maravia!
Ciàpa, to’, ch’at bott un bès!

Cùma t’è bèla, chèra Ghirlandèina,
te pèr un quel d’insàni, una vision!
Bianca, in tla préma lus ed la matèina
te pèr un’urazioun.

Ghirlandèina, véta mia,
t’è por bèla. Csa t’em piès!
Vè che Tarr! Che maravia!
Ciàpa, to’, ch’at bott un bès!

Bianca, slanzèda, cun la punta al zél,
al campanoun ch’al t’fa totta termer.
Guardian piò vigilant e piò fedel
an gh’è dobbi cater.

Ghirlandèina, véta mia,
t’è por bèla. Csa t’em piès!
Vè che Tarr! Che maravia!
Ciàpa, to’, ch’at bott un bès!

Dal bianchi balaostri, pò, che vésta!
La zitè satta, i mont e al mèr luntan,
du fiom lusent, i camp in bèla vésta:
La tèra di Zemiàn.

Ghirlandèina, véta mia,
t’è por bèla. Csa t’em piès!
Vè che Tarr! Che maravia!
Ciàpa, to’, ch’at bott un bès!


Ghirlandina, vida minha,
és mesmo bela. Como gosto de ti!
Olha que Torre! Que maravilha!
Pega, vai, que te jogo um beijo!

Como és bela, querida Ghirlandina,
pareces um sonho, uma visão!
Branca, nas primeiras hora da manha
pareces uma oração.

Ghirlandina, vida minha,
és mesmo bela. Como gosto de ti!
Olha que Torre! Que maravilha!
Pega, vai, que te jogo um beijo!

Branca, esbelta, com a ponta ao céu,
o sino grande que te faz tremer toda.
Guardião mais vigilante e mais fiel
sem duvida não se encontra.

Ghirlandina, vida minha,
és mesmo bela. Como gosto de ti!
Olha que Torre! Que maravilha!
Pega, vai, que te jogo um beijo!

Dás brancas balaustradas, pois, que vista!
A cidade embaixo, os montes e o mar ao longe,
dois rios reluzentes, os campos em bela vista:
A terra de São Geminiano.

Ghirlandina, vida minha,
és mesmo bela. Como gosto de ti!
Olha que Torre! Que maravilha!
Pega, vai, que te jogo um beijo!