Musica Italiana

La canzone del Grappa

( Canto patriottico - Canta: Coro degli Alpini )
( Autores: Generale E. De Bono - Capitano A. Meneghetti - 1918 )

Em 1918, para contrastar um violento ataque dos austríacos, foram enviados muitos homens e meios no fronte do Monte Grappa para cumprir aqueles atos de heroísmo que em 15 de junho de 1918 conseguiram parar e depois afugentar definitivamente o inimigo. Desde então o Monte Grappa foi declarado "Sagrado pela Patria". Naquele ano entre os soldados circulava uma lenda que dizia que a população do Vale Cismon, ocupado pelos austríacos, cantava baixinho um belíssimo hino patriótico. Num desejo profundo de libertação, mãos misteriosas haviam escrito nos muros das casa: "Monte Grappa, tu és a minha Pátria” e foi a este verso que se inspirou o general Emilio De Bono para escrever o hendecassílabo do hino, que foi depois musicado pelo então capitão Antonio Meneghetti nativo de Ancona.

Original em italiano Tradução

Monte Grappa tu sei la mia Patria,
sovra a te il nostro sole risplende,
a te mira chi spera ed attende
i fratelli che a guardia vi stan.

Contro a te già s’infranse il nemico
che all’Italia tendeva lo sguardo,
non si passa un cotal baluardo
affidato ad italici cuor.

Monte Grappa tu sei la mia Patria,
sei la stella che addita il cammino,
sei la gloria, il volere, il destino
che all’Italia ci fa ritornar.

Le tue cime fur sempre vietate
per il piè dell’odiato straniero,
dei tuoi fianchi egli ignora il sentiero
che pugnando più volte tentò.

Qual la candida neve che al vento
ti ricopre di splendido ammanto,
tu sei puro ed invitto con vanto
che il nemico non lasci passar.

Monte Grappa tu sei la mia Patria,
sei la stella che addita il cammino,
sei la gloria, il volere, il destino
che all’Italia ci fa ritornar.

O montagna, per noi tu sei sacra,
giù di lì scenderanno le schiere
che irrompenti a spiegate bandiere
l’invasore dovranno scacciar.

Ed i giorni del nostro servaggio,
che scontammo mordendo nel freno,
in un forte avvenire sereno
al più presto vedremo mutar.

Monte Grappa tu sei la mia Patria,
sei la stella che addita il cammino,
sei la gloria, il volere, il destino,
che all’Italia ci fa ritornar.


Monte Grappa tu és a minha Pátria,
sobre ti o nosso sol resplandece,
para ti olha quem espera e aguarda
os irmãos que estão te vigiando.

Contra ti já rebentou-se o inimigo
que para a Itália lançava o olhar,
não se supera um tal baluarte
confiado à itálicos corações.

Monte Grappa tu és a minha Pátria,
és a estrela que indica o caminho,
és a gloria, o querer, o destino
que à Itália nos faz retornar.

Os teus cumes foram sempre vetados
para o pé do odiado estrangeiro,
dos teus flancos ele ignora o caminho
que combatendo muitas vezes tentou.

Como a cândida neve que ao vento
te cobre de esplendido manto,
tu és puro e invicto com orgulho
pois o inimigo não deixas passar.

Monte Grappa tu és a minha Pátria,
és a estrela que indica o caminho,
és a gloria, o querer, o destino
que à Itália nos faz retornar.

Oh montanha, para nós tu és sagrada,
de ti descerão as tropas
que irrompendo com desdobradas bandeiras
o invasor deverão afugentar.

E os dias da nossa servidão,
que expiamos mordendo o freio,
num forte porvir sereno
logo mais veremos mudar.

Monte Grappa tu és a minha Pátria,
és a estrela que indica o caminho,
és a gloria, o querer, o destino
que à Itália nos faz retornar.