Musica Italiana

La biondina in gondoeta

( Canta: Umberto da Preda )
( Autores: Johann Simon Mayr - Anton Maria Lamberti - 1788 )

O autor Anton Maria Lamberti escreveu esta musica em homenagem, se assim podemos dizer, dá nobre dama veneziana Marina Querini Benzon, conhecida pela sua exuberância e pela sua coxa fácil. É ela a loirinha que adormece na gôndola deixando que Lamberti primeiro ficasse a contempla-la e depois passasse aos fatos, coisa da qual ele nunca se arrependeu. Quando chegaram em Veneza as tropas de Napoleão, dona Marina, logo se declarou jacobina. Uma noite, a um baile em honra dos ocupantes franceses, caiu e rolou no chão acabando com as pernas no ar e mostrando assim, não usando roupa intima, as chamadas partes vergonhosas.

Original em dialeto veneto Tradução

La biondina in gondoeta
l’altra sera gò menà,
dal piasser la povareta
la s’ha in boto indormensà.

La dormiva su ‘sto brasso,
mì ogni tanto la svegiava,
mì ogni tanto la svegiava.

E a barca che ninava
la tornava a indormensar,
e a barca che ninava
la tornava a indormensar.

Contemplando fisso, fisso,
e fatesse del mio ben,
quel visetto cussì slisso,
quea bocca e quel bel sen.

Mi sentiva dentro al petto
una smania, un missiamento,
una smania, un missiamento.

Una specie de contento
che no' so come spiegar,
una specie de contento
che no' so come spiegar.

M''ò stufà, oh finalmente,
de sto tanto so' dormir,
e gò fato da insoente,
no m' 'ò vudo da pentir.

Perchè, Oddio, che bee cose
ghe go dito e ghe go fato,
ghe go dito e ghe go fato.

No, mai più tanto beato
ai me zorni no so stà.
No, mai più tanto beato
ai me zorni no so stà.

La la la la la........


A loirinha em gôndoinha
na outra noite eu levei,
pela prazer a pobrezinha
de imediato adormeceu.

Ela dormia neste braço,
eu de vez em quando a acordava,
eu de vez em quando a acordava.

Com o barco que balançava
ela voltava a adormecer,
com o barco que balançava
ela voltava a adormecer.

Contemplando fixo, fixo,
os formosuras do meu bem,
aquele rostinho tão liso,
aquela boca e aquele belo seio.

Eu sentia dentro do peito
uma impaciência, uma agitação,
uma impaciência, uma agitação,.

Uma espécie de sentimento
que não sei como explicar,
uma espécie de sentimento
que não sei como explicar.

Me cansei, oh finalmente,
deste tanto só dormir,
e me fiz de insolente,
não tive que arrepender-me.

Porque, Deus, que belas coisas
que eu disse e que eu fiz,
que eu disse e que eu fiz.

Não, nunca mais tão beato
até os dias de hoje eu fui.
Não, nunca mais tão beato
até os dias de hoje eu fui.

La la la la la........