Musica Italiana

Indifferentemente

( Canta: Sergio Bruni )
( Autores: U. martucci - S. Marzocco - 1963 )

Original em dialeto napolitano Tradução

Tramonta 'a luna
e nuje, pe' recitá ll'ùrtima scena,
restammo mane e mane
senza tené 'o curaggio 'e ce parlá.

Famme chello che vuó',
indifferentemente,
tanto 'o ssaccio che só',
pe' te io nun só' cchiù niente!

E damme stu veleno,
nun aspettá dimane
ca, indifferentemente,
si tu mm'accide, i' nun te dico niente.

E ride pure,
mentre mme scippe 'a pietto chistu core.
Nun sento cchiù dulore
e nun tengo cchiù lacreme pe' te.

Famme chello che vuó!

E damme stu veleno,
nun aspettá dimane
ca, indifferentemente,
si tu mm'accide, i' nun te dico niente.

Indifferentemente,
i' voglio a te!


Desaparece a lua
e nós, para recitar a ultima cena,
ficamos mão na mão,
sem ter a coragem de falar.

Faz de mim aquilo que queres,
indiferentemente,
tanto eu sei o que sou,
pra ti eu não sou mais nada!.

E dá-me este veneno,
não esperar amanha
pois, indiferentemente,
se tu me matas, eu não te digo nada.

E ri tranqüila,
enquanto arrancas do peito este coração.
Não sinto mais dor
e não tenho mais lagrimas para ti.

Faz de mim aquilo que queres!

E dá-me este veneno,
não esperar amanha
pois, indiferentemente,
se tu me matas, eu não te digo nada.

Indiferentemente,
eu quero a ti!