Musica Italiana

Il testamento del Capitano

( Canta: Coro degli Alpini )
( Autor: Anonimo - 1918 )

A verdadeira origem certa daquele que pode ser definido o mais clássico e nobre entre os cantos dos Alpinos encontra-se no canto fúnebre do século XVI "O testamento espiritual do Marques de Saluzzo". O Nigra nos transmite as versões, em piemontês arcaico, consideradas mais originais e já em 1858 traça em detalhes o fato histórico ao qual o canto está ligado. Michele Antonio, décimo primeiro marques de Saluzzo, capitão geral das armadas francesas no reino de Nápoles, mortalmente ferido por um óbice durante a defesa da fortaleza de Aversa circundada pelas tropas dos Borbón, em 1528, exprime suas últimas vontades aos soldados reunidos ao redor do seu leito de morte. E será talvez um desses soldados o ignoto autor dos versos que contam os últimos instantes do capitão, criando uma das mais interessantes preciosidades do patrimônio épico-lírico italiano, herdada depois pela tradição alpina que na época da 1a Guerra Mundial (1918), difundiu o canto nesta versão que tem uma mistura dos dialetos veneto e trentino.

Original em dialeto veneto-trentino Tradução

Il capitan de la compagnia
e l’è ferito e sta per mori.
El manda a dire ai suoi Alpini
perché lo vengano a ritrovar.

I suoi Alpini ghe manda a dire
che non han scarpe per camminar.
“O con le scarpe, o senza scarpe,
i miei Alpini li voglio qua”.

“Cosa comanda sior capitano,
che noi adesso semo arrivà?”
“E io comando che il mio corpo
in cinque pezzi sia taglià.

Il primo pezzo alla mia Patria,
secondo pezzo al Battaglion.
Il terzo pezzo alla mia Mamma
che si ricordi del suo figliol.

Il quarto pezzo alla mia Bella,
che si ricordi del suo primo amor.
L’ultimo pezzo alle montagne
che lo fioriscano di rose e fior”.

L’ultimo pezzo alle montagne
che lo fioriscano di rose e fior!


O capitão da companhia
é ferido e está morrendo.
Ele manda a dizer aos seus Alpinos
que se apresentem a ele.

Os seus Alpinos lhe mandam dizer
que não têm sapatos para caminhar.
“Ou com sapatos, ou sem sapatos,
os meus Alpinos os quero aqui”.

“O que comanda senhor capitão,
que nós agora chegamos?”
“E eu comando que o meu corpo
em cinco pedaços seja cortado.

O primeiro pedaços à minha Pátria,
o segundo pedaço ao Batalhão.
o terceiro pedaço à minha Mãe
porque se lembre do seu filho.

O quarto pedaço à minha Bela,
porque se lembre do seu primeiro amor.
O ultimo pedaço às Montanhas
porque o recobram de rosas e flores”.

O ultimo pedaço às Montanhas
porque o recobram de rosas e flores!