Musica Italiana

I due Gemelli

( Canta: Roberto Murolo )
( Autores: G. Pisano - G. Cioffi - 1937 )

Original em dialeto napolitano Tradução

Tu si' nata pe’ te mmaretá,
pecché si' femmena.
Io só' nato pe' mme spusá a te,
pecché só' másculo.
E mme ll'hê 'a fá passá chistu gulío,
io mme piglio a te,
tu te piglie a me,
tesoro mio.

Io benedico a mámmeta
ca se spusaje a páteto
e te facette nascere
pe' fá felice a me.
E voglio duje gemelle,
belle, belle, belle, belle,
'o maschio e 'a femmenella,
belle, belle, belle, belle,
'a nennélla tale e quale a te,
'o nennillo tale e quale a me.

Na figlióla bella comm'a te,
nun po' chiu' nascere,
'mmiez'a tutt''e bbelle saje che si'?
'A meglia 'e Napule!
Perciò famme passá 'sta pecundría,
jammo, dice si',
nun mme fá murí,
sciascióna mia.

Io benedico a mámmeta,
ca se spusaje a páteto,
e te facette nascere
pe' fá felice a me.
E voglio duje gemelle,
belle, belle, belle, belle,
'o maschio e 'a femmenella,
belle, belle, belle, belle,
'a nennélla tale e quale a te,
'o nennillo tale e quale a me.

Chisto t''o ddicevo 'n'anno fa,
mo si' muglierema
e si' nata pe' mme fá schiattá,
'nfamóna 'e femmena.
Ma si mme piglia 'ncapa 'a pazzaría,
io te ciacco a te,
o tu ciacche a me,
parola mia.

Io strafucasse a mámmeta
ca se spusaje a páteto
e te facette nascere
pe' fà infelice a me.
Mm'hê fatto duje gemelle
belle, belle, belle, belle,
'o maschio e 'a femmenella,
belle, belle, belle, belle,
'o guaglione brutto como acchè,
'a guagliona chiu'carogna e te!

Ma comme, io dico, páteto
se va a 'ncuntrá cu mammeta,
se sposano e cumbinano
stu ddiece 'e guajo a me!
Mm'hê fatto duje gemelle
belle, belle, belle, belle,
'o maschio e 'a femmenella,
belle, belle, belle, belle,
'o guaglione brutto como acchè,
'a guagliona chiu'carogna e te!


Tu nasceste para casar,
 porque és fêmea.
 Eu nasci para casar contigo,
 porque sou macho.
 E faz com que passe este meu desejo,
 eu pego a ti,
 tu pegas a mim,
 tesouro meus.
 
 Eu abençôo a tua mãe
 que casou com teu pai
 e te fez nascer
 pra fazer-me feliz.
 E quero dois gêmeos,
 belos, belos, belos, belos,
 um menino e uma menina,
 belos, belos, belos, belos,
 a menina parecida contigo,
 o menino parecido comigo.
 
 Uma mulher bela como tu
 não pode mais nascer,
 entre todas as belas, sabes quem tu és?
 A melhor de Nápoles!
 Por isto faz com que passe este meu desejo,
 vai, diz-me sim,
 não fazer-me morrer,
 tesouro meu.
 
 Eu abençôo a tua mãe
 que casou com teu pai
 e te fez nascer
 pra fazer-me feliz.
 E quero dois gêmeos,
 belos, belos, belos, belos,
 um menino e uma menina,
 belos, belos, belos, belos,
 a menina parecida contigo,
 o menino parecido comigo.
 
 Isto eu o dizia pra ti um ano atrás,
 agora tu és minha mulher
 e nasceste para fazer-me enlouquecer,
 infame de uma fêmea..
 Mas se uma loucura me ataca a cabeça
 eu te esmago,
 ou tu me esmaga,
 palavra minha.
 
 Eu estrangularia a tua mãe
 que casou com teu pai
 e te fez nascer
 pra fazer-me infeliz.
 Me deste dois gêmeos
 belos, belos, belos, belos,
 um menino e uma menina,
 belos, belos, belos, belos,
 o garoto feio como quem sabe o que,
 a garota mais maldosa de ti!
 
 Mas como, eu digo, o teu pai
 encontrou a tua mãe,
 se casaram e arrumaram
 este grande desastre pra mim!
 Me deste dois gêmeos
 belos, belos, belos, belos,
 um menino e uma menina,
 belos, belos, belos, belos,
 o garoto feio como quem sabe o que,
 a garota mais maldosa de ti!