Musica Italiana

Gira e fai la rota

( Canta: Claudio Villa )
( Autores: C. Innocenzi - M. Rivi - 1947 )

Original em dialeto romano Tradução

Gira, gira e fai la rota
e nun falla mai ferma'.

Quando ar mattino Roma s'e' svejata
pare 'n pavone quando fa la rota,
sembra na pennellata fatta d'arcobaleno,
pure si piove, pare ch'e' sereno.

Gira, gira e fai la rota
nun te devi mai stanca',
gira, gira e fai la rota
e nun falla mai ferma'.

Te vojo bene e ancora nun lo sai,
ma guarda bene dentro all'occhi miji,
così ce leggerai 'na lettera d'amore
che ho scritto e sigillata 'n fonno ar core.

Gira, gira e fai la rota
nun te devi mai stanca',
gira, gira e fai la rota
e nun falla mai ferma'.

Io c'ho 'n'amore que nun ha mai fine,
nun e' geloso e nun me da' le pene,
c'ha tere e c'ha coline, e' ricco de tesori
è Roma mia, er più grande dell'amori.

Gira, gira e fai la rota
nun te devi mai stanca',
gira, gira e fai la rota
e nun falla mai fermare!


Gira, gira e faz a roda
e não deixa-a nunca parar.

Quando de manha Roma acorda
parece um pavão quando abre a cauda,
parece uma pincelada feita de arco-íris,
também se chove, parece que é sereno.

Gira, gira e faz a roda
não deves nunca cansar,
gira, gira e faz a roda
e não deixa-a nunca parar.

Te quero bem e ainda não o sabes,
mas olha bem dentro dos olhos meus,
assim lerás uma carta de amor
que escrevi e lacrei no fundo do coração.

Gira, gira e faz a roda
não deves nunca cansar,
gira, gira e faz a roda
e não deixa-a nunca parar.

Eu tenho um amor que não tem nunca fim,
não é ciumento e não me dá nunca penas,
possui terras e colinas, è rico de tesouros
è Roma minha, o maior dos amores.

Gira, gira e faz a roda
não deves nunca cansar,
gira, gira e faz a roda
e não deixa-a nunca parar!