Musica Italiana

Funiculí-Funiculá

( Canta: O Tenor Luciano Pavarotti e Coro )
( Autores: P. Turco - L. Denza - 1880 )

A canção foi escrita pelo jornalista Peppino Turco e musicada por Luigi Denza no distante ano de 1880. O evento que inspirou seu nascimento foi a inauguração do primeiro Bonde (Funicolare) do Vesúvio, e seu objetivo era aquele de despertar a atenção dos turistas e dos mesmos napolitanos para que visitassem o vulcão. Apesar de possuir versos muito simples, escritos em poucas horas, a musica alcançou um sucesso estrepitoso e contribuiu muito a difundir a musica napolitana no mundo inteiro além de chamar muitos turistas proveniente de todos os lugares do nosso planeta.

Original em dialeto napolitano Tradução

Jammo, jammo,
'ncoppa jammo ja'!
Jammo, jammo,
'ncoppa jammo ja'!

Funiculí - funiculá,
funiculí - funiculá!
'Ncoppa jammo ja',
funiculí - funiculá!

Aisséra, Nanninè', mme ne sagliette,
tu saje addó'.
Tu saje addó'!

Addó', 'sto core 'ngrato, cchiù dispiette,
farme nun pò.
Farme nun pò!

Addó' lo ffuoco coce, ma si fuje,
te lassa stá.
Te lassa stá!

E nun te corre appriesso e nun te struje,
sulo a guardá.
Sulo a guardá!

Jammo, jammo,
'ncoppa jammo ja'!
Jammo, jammo,
'ncoppa jammo ja'!

Funiculí - funiculá,
funiculí - funiculá!
'Ncoppa jammo ja',
funiculí - funiculá!

Se n'è sagliuta, oje né', se n'è sagliuta,
la capa giá.
La capa giá!

E' ghiuta, po' è tornata, po' è venuta,
sta sempe ccá.
Sta sempe ccá!

La capa vota, vota attuorno, attuorno,
attuorno a te.
Attuorno a te!

Lo core canta sempe no taluorno,
sposammo, oje né'.
Sposammo, oje né'!

Jammo, jammo,
'ncoppa jammo ja'!
Jammo, jammo,
'ncoppa jammo ja'!

Funiculí - funiculá,
funiculí - funiculá!
'Ncoppa jammo ja',
funiculí - funiculá!

Funiculí - funiculá,
funiculí - funiculá!
'Ncoppa jammo ja',
funiculí - funiculá!


Vamos, vamos,
pro topo vamos, já!
Vamos, vamos,
pro topo vamos, já!

Funiculì - funiculà,
funiculì - funiculà!
Pro topo vamos, já,
funiculì - funiculà!

Ontem a noite, Nannina, eu subi,
tu sabes onde.
Tu sabes onde!

Onde, este coração ingrato, mais magoado,
fazer-me não pode.
Fazer-me não pode!

Onde o fogo coze, mas se foges,
te deixa estar.
Te deixa estar!

E não te persegue e não te destrói,
somente a olhar.
Somente a olhar!

Vamos, vamos,
pro topo vamos, já!
Vamos, vamos,
pro topo vamos, já!

Funiculì - funiculà,
funiculì - funiculà!
Pro topo vamos, já,
funiculì - funiculà!

Se foi, oh bela, se foi,
a cabeça já.
A cabeça já!

Se foi, depois voltou, depois veio,
está sempre cá.
Está sempre cá!

A cabeça gira, gira entorno, entorno,
entorno de ti.
Entorno de ti!

O coração canta sempre um refrão:
casemos-nos, oh bela.
casemos-nos, oh bela!

Vamos, vamos,
pro topo vamos, já!
Vamos, vamos,
pro topo vamos, já!

Funiculì - funiculà,
funiculì - funiculà!
Pro topo vamos, já,
funiculì - funiculà!

Funiculì - funiculà,
funiculì - funiculà!
Pro topo vamos, já,
funiculì - funiculà!