Musica Italiana

Era un omino piccino piccino

( Canta: Clara Jaione & Radio Boys )
( Autor:  G. Paolillo - 1955 )

Original em italiano Traduo

Ua, ua, ua, ua, ua.

Come un baleno pass
il fiammeggiante congegno nel cielo,
tutta la folla trem
seguendo in ansia il suo rapido volo.

In quella notte senza fine
ognuno un cuore ritrov
e il disco veloce cal,
tra i fiori si pos,
la cupola si apr
ed un omino strano usc.

Era un omino piccino, piccino,
con un vestito di stile un p strano,
negli occhi aveva uno sguardo sereno
e una colomba dipinta sul cuor.

Ad ogni rosa lui tolse le spine
e disse a tutti "Vogliatevi bene",
poi, sorridendo, nel cielo svan.
Era un omino piccino cos.

Era un omino piccino, piccino,
con un vestito di stile un p strano,
negli occhi aveva uno sguardo sereno
e una colomba dipinta sul cuor.


Ad ogni rosa lui tolse le spine
e disse a tutti "Vogliatevi bene",
poi, sorridendo ,nel cielo svan.
Era un omino piccino cos.


Ah, se potesse accader
che un abitante di un mondo lontano,
verso un amore sincer
il nostro cuore portasse per mano.

Come il poeta sognatore,
tanto bello immaginar
l'omino disceso dal ciel
che, piccolo cos,
il bene c'insegn
ed al suo mondo ritorn.

Era un omino piccino, piccino,
con un vestito di stile un p strano,
negli occhi aveva uno sguardo sereno
e una colomba dipinta sul cuor.


Ad ogni rosa lui tolse le spine
e disse a tutti "Vogliatevi bene",
poi sorridendo nel cielo svan.
Era un omino piccino cos.

Ad ogni rosa lui tolse le spine
e disse a tutti "Vogliatevi bene",
poi sorridendo nel cielo svan.
Era un omino piccino cos.

Ed al suo mondo veloce torn!


Ua, ua, ua, ua, ua.

Como um relmpago passou
o flamejante aparelho no cu,
toda a multido estremeceu
seguindo ansiosamente seu rpido vo.

Naquela noite sem fim
cada um um corao reencontrou
e o disco veloz desceu,
entre as flores pousou,
a cpula se abriu
e um homenzinho estranho saiu.

Era um homenzinho pequeno pequeno,
com um vestido de estilo um pouco estranho,
nos olhos havia um olhar sereno
e uma pomba pintada sobre o corao.

A cada rosa ele tirou as espinhas
e disse a todos "Quereis-vos bem",
depois, sorrindo, no cu desapareceu.
Era um homenzinho pequeno assim.

Era um homenzinho pequeno pequeno,
com um vestido de estilo um pouco estranho,
nos olhos havia um olhar sereno
e uma pomba pintada sobre o corao.

A cada rosa ele tirou as espinhas
e disse a todos "Quereis-vos bem",
depois, sorrindo, no cu desapareceu.
Era um homenzinho pequeno assim.


Ah, se pudesse acontecer
que um morador de um mundo distante,
na direo de um amor sincero
o nosso corao conduzisse pela mo.

Como o poeta sonhador,
to belo imaginar
o homenzinho descido do cu
que, pequeno assim,
o bem nos ensinou
e ao seu mundo retornou.

Era um homenzinho pequeno pequeno,
com um vestido de estilo um pouco estranho,
nos olhos havia um olhar sereno
e uma pomba pintada sobre o corao.


A cada rosa ele tirou as espinhas
e disse a todos "Quereis-vos bem",
depois, sorrindo, no cu desapareceu.
Era um homenzinho pequeno assim.

A cada rosa ele tirou as espinhas
e disse a todos "Quereis-vos bem",
depois, sorrindo, no cu desapareceu.
Era um homenzinho pequeno assim.

E ao seu mundo veloz retornou!