Musica Italiana

Dicitencello vuje

( Canta: Renzo Arbore )
( Autores: E. Fusco - R. Falvo - 1930 )

Original em dialeto napolitano Tradução

Dicitencello
a 'sta cumpagna vosta
ch'aggio perduto 'o suonno
e 'a fantasia.

Ch' 'a penzo sempe,
ch' è tutt''a vita mia.
I' nce 'o vvulesse dicere,
ma nun ce 'o ssaccio dí.

'A voglio bene
'A voglio bene assaje.
Dicitencello vuje
ca nun mm' 'a scordo maje.

E' na passione
cchiù forte 'e na catena,
ca mme turmenta ll'anema
e nun mme fa campá.

Dicitencello
ch' è na rosa 'e maggio,
ch' è assaje cchiù bella
'e na jurnata 'e sole.

Da 'a vocca soja,
cchiù fresca d''e vviole,
i giá vulesse sèntere
ch'è 'nnammurata 'e me.

'A voglio bene.
'A voglio bene assaje.
Dicitencello vuje
ca nun mm' 'a scordo maje.

E' na passione
cchiù forte 'e na catena,
ca mme turmenta ll'anema
e nun mme fa campá.

Na lácrema lucente
v'è caduta,
dicíteme nu poco:
a che penzate?

Cu st' uocchie doce,
vuje sola mme guardate.
Levámmoce 'sta maschera,
dicimmo 'a veritá.

Te voglio bene.
Te voglio bene assaje.
Si' tu chesta catena
ca nun se spezza maje.

Suonno gentile,
suspiro mio carnale,
te cerco comm 'a ll'aria,
te voglio pe' campá.

Te voglio pe' campá!


Diga-lhe
a esta sua amiga
que perdi o sono
e a fantasia.

Que a penso sempre,
que é toda a vida minha.
Eu queria dizer a ela,
mas não sou capaz de dizer.

Lhe quero bem.
Lhe quero bem demais.
Diga-lhe você
que não a esqueço nunca.

É uma paixão,
mais forte de uma corrente,
que me atormenta a alma
e não me deixa viver.

Diga-lhe
que é uma rosa de maio,
que é muito mais bela
de um dia de sol.

Dá sua boca,
mais fresca das violas,
eu já queria ouvir
que está apaixonada por mim.

Lhe quero bem.
Lhe quero bem demais.
Diga-lhe você
que não a esqueço nunca.

É uma paixão,
mais forte de uma corrente,
que me atormenta a alma
e não me deixa viver.

Uma lagrima luzente
lhe caiu,
diga-me um pouco:
a que está pensando?

Com estes olhos doces,
você somente me olha.
Tiramos esta mascara,
falamos a verdade.

Te quero bem.
Te quero bem demais.
És tu esta corrente
que não se quebra nunca.

Sonho gentil,
suspiro meu carnal,
te busco como o ar,
te quero para viver.

Te quero para viver!