Musica Italiana

Dduje giuramente

( Canta: Mirna Doris )
( Autores: R. Fiore - S. Mazzocco - 1965 )

Original em dialeto napolitano Tradução

Chella sera, fuje stu mare,
pe' nuje, na catena.
Te scurdaste 'e nu munno luntano,
mme giuraste: "Nun parto maje cchiù"
e ce dèttemo 'o ttu!

Ma 'e giuramente d'ammore
se ll'ha purtate 'o mare,
e mme turmenta, ogne sera,
na lacrema 'int' 'o core.

Tutt' 'e ricorde tornano
sott'a stu cielo blu,
ma 'e giuramente d'ammore
se ll'ha purtate 'o mare,
e nun tornano cchiù.

Tutt' 'e ssere,
veco n'ombra ca vène da 'o mare,
veco a te ca screviste: "T' 'o ggiuro,
ca só' eterne chest'ore pe' me,
e ritorno addu te".

Tutt' 'e ricorde tornano
sott'a stu cielo blu,
ma 'e giuramente d'ammore
se ll'ha purtate 'o mare,
e nun tornano cchiù.

Dduje giuramente
ca nun tornano cchiù!


Naquela noite, foi este mar,
para nós, uma cadeia.
Esqueceste de um mundo distante,
me juraste: "Não parto nunca mais"
e nos tratamos por tu.

Mas as juras de amor
as levou o mar,
e me atormenta, cada noite,
uma lagrima no coração.

Todas as lembranças voltam
sob este céu azul,
mas as juras de amor
as levou o mar
e não voltam mais.

Todas as noites
vejo uma sombra que vem do mar,
vejo a ti que escreveste: "Te juro,
que são eternas estas horas pra mim,
e voltarei pra ti".

Todas as lembranças voltam
sob este céu azul,
mas as juras de amor
as levou o mar
e não voltam mais.

Dois juramentos
que não voltam mais!