Musica Italiana

Creola

( Canta: Luciano Virgili )
( Autor: L. Miaglia alias Ripp - 1926 )

Original em italiano Tradução

Che bei fior carnosi
son le donne dell'Avana,
hanno il sangue torrido
come l’ Equador.

Fiori voluttuosi
come coca boliviana.
Chi di noi s’inebria
ci ripete ognor:

Creola,
dalla bruna aureola,
per pietà sorridimi
che l’amor m’assal.

Straziami,
ma di baci saziami.
Mi tormenta l’anima
uno strano mal.

La lussuria passa
come un vento turbinante,
che gli odor più perfidi
reca ognor con sé.

Ed i cuori squassa
quella raffica fragrante,
e inginocchia gli uomini
sempre ai nostri piè.

Straziami,
ma di baci saziami.
Mi tormenta l’anima
uno strano mal.


Que belas flores carnudas
são as mulheres dá Havana,
tem o sangue tórrido
como o Equador.

Flores voluptuosas
como coca boliviana.
Quem de nós se inebria
nos repete sempre:

Crioula,
com a morena aureola,
por piedade sorri pra mim
pois o amor me assalta.

Martiriza-me,
mas de beijos sacia-me.
Me tormenta a alma
um estranho mal.

A luxúria passa
como um vento turbilhonando,
que os cheiros mais pérfidos
traz sempre consigo.

E os corações sacode
aquela rajada fragrante,
e ajoelha os homens
sempre aos nossos pés.

Martiriza-me,
mas de beijos sacia-me.
Me tormenta a alma
um estranho mal.