Musica Italiana

Comme se canta a Napule

( Canta: Sergio Bruni )
( Autor: E. A. Mario - 1911 )

Original em dialeto napolitano Tradução

Comme se canta a Napule
t''o vvuó' 'mpará, pecché giá te n'adduone
ca dint''o core va nu raggio 'e sole,
sentenno na canzone.
E Napule chest'è, chesto pò dá,
pò dá speranze a chi nun spera cchiù,
resate allère e freve 'e passione.

E basta sulamente nu mandulino
p'avantá 'e ttrezze belle e ll'uocchie doce,
n'aria 'e ciardino,
nu filo 'e voce,
nu core ardente,
ca, ride o chiagne, vò' sempe cantá!

Canzone ca suspirano
dint'a na varca o sott'a nu barcone.
Canzone, allère e triste, ca ogne core
se 'mpara 'e ogne stagione.
E a chi è straniero, e vène o se ne va,
ó core lle dice: "Canta pure tu,
ricòrdate stu cielo e sti ccanzone."

E basta sulamente nu mandulino
p'avantá 'e ttrezze belle e ll'uocchie doce,
n'aria 'e ciardino,
nu filo 'e voce,
nu core ardente,
ca, ride o chiagne, vò' sempe cantá!

Pe' chi se canta a Napule
tu 'o vvuó' sapé? P''e rrose e p''e vviole,
p''o cielo e 'o mare e maje pe' fá tesore,
p''ammore e p''e ffigliole.
Perciò chi nasce dint'a 'sta cittá,
passa cantanno tutt''a giuventù,
nuttate 'e luna e matenate 'e sole.

E basta sulamente nu mandulino
p'avantá 'e ttrezze belle e ll'uocchie doce,
n'aria 'e ciardino,
nu filo 'e voce,
nu core ardente,
ca, ride o chiagne, vò' sempe cantá!


Como se canta a Nápoles
tu queres apreender, porque já sabes
que no coração entra um raio de sol,
ouvindo uma canção.
E Nápoles é isto, isto pode dar,
pode dar esperanças pra quem não espera mais,
risadas alegres e febre de paixão.

E basta somente um bandolim
para cantar as belas tranças e os olhos doces,
um ar de jardim,
um fio de voz,
um coração ardente,
que, ri ou chora, quer sempre cantar!

Canções que suspiram
num barco ou sob a um balcão.
Canções, alegres e tristes, que cada coração
apreende em cada estação.
E a quem é estrangeiro, e vem ou vai,
o coração lhe diz: "Canta também tu,
lembra deste céu e destas canções."

E basta somente um bandolim
para cantar as belas tranças e os olhos doces,
um ar de jardim,
um fio de voz,
um coração ardente,
que, ri ou chora, quer sempre cantar!

Para quem se canta a Nápoles
tu queres saber? Pelas rosas e pelas violetas,
pelo céu e o mar e nunca por dinheiro,
por amor e pelas garotas.
Por isso quem nasce nesta cidade,
passa cantando toda a juventude,
noitadas de lua e manhas de sol.

E basta somente um bandolim
para cantar as belas tranças e os olhos doces,
um ar de jardim,
um fio de voz,
um coração ardente,
que, ri ou chora, quer sempre cantar!