Musica Italiana

Come Giuda

( Canta: Carla Boni )
( Autores: Fanciulli - Pinchi - 1953 )

Original em italiano Tradução

Giuda!
Sei come Giuda!
Hai vissuto accanto a me,
nascondendo intorno a te
la lusinga e il tradimento.

Baci!
Baci di Giuda
sono quelli che dai tu.
Danno un fremito di più
per lasciar lo smarrimento.

Il mio peccato
è averti troppo amato,
aver creduto come ognuno crede al sole,
senza chiedersi perché, donando a te,
soltanto a te, l'intera vita mia.

Giuda!
Sei come Giuda!
Perché torni ancora qui,
lusingandomi così
con la bocca che avvelena?

Giuda!
Non tornar sulla mia strada!
Quasi tu mi fai paura,
non voglio amarti ancora,
più nulla sei per me.

Hai vissuto accanto a me,
nascondendo intorno a te
la lusinga e il tradimento.

Sono i baci che dai tu,
danno un fremito di più
per lasciar lo smarrimento.

Il mio peccato
è averti troppo amato,
aver creduto come ognuno crede al sole,
senza chiedersi perché, donando a te,
soltanto a te, l'intera vita mia.

Giuda!
Sei come Giuda!
Perché torni ancora qui,
lusingandomi così
con la bocca che avvelena?

Giuda!
Non tornar sulla mia strada!
Quasi tu mi fai paura,
non voglio amarti ancora,
più nulla sei per me.

Sei come Giuda!
Giuda! Giuda!
Sei come Giuda!


Judas!
És como Judas!
Viveste ao meu lado,
escondendo em tua volta
a lisonja e a traição.

Beijos!
Beijos de Judas
são aqueles que tu dás.
Eles dão um frêmito a mais
para depois deixar a confusão.

O meu pecado
é ter-te amado demais,
acreditado como todos acreditam no sol,
sem perguntar-se o porque, doando a ti,
somente a ti, a inteira vida minha.

Judas!
És como Judas!
Porque retornas ainda aqui,
lisonjeando-me assim
com a boca que envenena?

Judas!
Não voltar para a minha estrada!
Tu quase me dás medo,
não quero amar-te ainda,
mais nada tu és pra mim.

Viveste ao meu lado,
escondendo em tua volta
a lisonja e a traição.

São os beijos que tu dás,
eles dão um frêmito a mais
para depois deixar a confusão.

O meu pecado
é ter-te amado demais,
acreditado como todos acreditam no sol,
sem perguntar-se o porque, doando a ti,
somente a ti, a inteira vida minha.

Judas!
És como Judas!
Porque retornas ainda aqui,
lisonjeando-me assim
com a boca que envenena?

Judas!
Não voltar para a minha estrada!
Tu quase me dás medo,
não quero amar-te ainda,
mais nada tu és pra mim.

És como Judas!
Judas! Judas!
És como Judas!