Musica Italiana

Brivido blu

( Canta: Tony Dallara )
( Autores: Spotti - Testa - 1958 )

Original em italiano Tradução

Chi sei tu, non lo so,
ma nei miei sogni sempre ti avrò,
mi sfiora il tuo ricordo
e sento un brivido blu.

Forse tu riderai
e quel che sento non capirai,
ma è proprio colpa tua
se provo un brivido blu.

Pensando a te sento violini che piangono,
sognando te vedo farfalle volar
e trovo il mar con mille vele
in fondo al mio bicchiere di gin.

Chi sei tu, non lo so
ma nei miei sogni sempre ti avrò,
sei come un'atmosfera
che dona un brivido blu.

Pensando a te sento violini che piangono,
sognando te vedo farfalle volar
e trovo il mar con mille vele
in fondo al mio bicchiere di gin.

Chi sei tu, non lo so
ma nei miei sogni sempre ti avrò,
sei come un'atmosfera
che dona un brivido blu.

Che dona un brivido blu!
Che dona un brivido blu!


Quem és tu, não sei,
mas nos meus sonhos sempre te haverei,
me vem a lembrança de ti
e sinto um arrepio azul.

Talvez tu rirás
e aquilo que sinto não entenderás,
mas é mesmo culpa tua
se sinto um arrepio azul.

Pensando em ti sinto violinos que choram,
sonhando a ti vejo borboletas voar
e encontro o mar com mil velas
no fundo do meu copo de gim.

Quem és tu, não sei,
mas nos meus sonhos sempre te haverei,
és como uma atmosfera
que doa um arrepio azul.

Pensando em ti sinto violinos que choram,
sonhando a ti vejo borboletas voar
e encontro o mar com mil velas
no fundo do meu copo de gim.

Quem és tu, não sei,
mas nos meus sonhos sempre te haverei,
és como uma atmosfera
que doa um arrepio azul.

Que doa um arrepio azul!
Que doa um arrepio azul!