Musica Italiana

Borgo antico

( Canta: Claudio Villa )
( Autores: Bonagura - Bonavolontà - 1950 )

Original em italiano Tradução

Oh borgo, vecchio borgo degli amanti
che il poeta immortalò
e ch'io ripenso pallidi e tremanti
come amore li avvinghiò,
borgo ascolta, questa volta,
la nuova istoria che narrar ti vo.

Borgo antico,
dai tetti grigi sotto il cielo opaco
io t'invoco
ma per le strade tue si perde l'eco
che dice cuore, cuor,
se spasimi con me, sopporta il mio dolore.

Cuore,
tu sai perché
non bevo
e sono ubriaco,
non gioco
e perdo al giuoco dell'amor.

Ho perso in mezzo a queste rose gialle
la speranza di un chissà
e la canzone mia si perde a valle
con la mia felicità.
Ora nona, suona, suona
e dimmi ancora è tardi, non verrà.

Borgo antico,
dai tetti grigi sotto il cielo opaco
io t'invoco
ma per le strade tue si perde l'eco
che dice cuore, cuor,
se spasimi con me, sopporta il mio dolore.

Cuore
tu sai perchè
non bevo
e sono ubriaco,
non gioco
e perdo al giuoco dell'amor.

Il cielo è diventato color fuoco.
Il sogno mio si spegne, borgo antico!


Oh burgo, velho burgo dos amantes
que o poeta imortalizou
e que eu repenso pálidos e trêmulos
como amor os amarrou,
burgo escuta, esta vez,
a nova historia que contar te vou.

Burgo antigo,
dos tetos cinzas sob o céu opaco
eu te invoco
mas pelas ruas tuas se perde o eco
que diz coração, coração,
se sofres comigo, suporta a minha dor.

Coração,
tu sabes porque
não bebo
e sou embriago,
não jogo
e perco ao jogo do amor.

Perdi no meio destas rosas amarelas
a esperança de um quiçá
e a canção minha se perde no vale
com a minha felicidade.
Hora nona, toca, toca
e diga-me ainda é tarde, não virá.

Burgo antigo,
dos tetos cinzas sob o céu opaco
eu te invoco
mas pelas ruas tuas se perde o eco
que diz coração, coração,
se sofres comigo, suporta a minha dor.

Coração,
tu sabes porque
não bebo
e sou embriago,
não jogo
e perco ao jogo do amor.

O céu tornou-se da cor do fogo.
O sonho meu se apaga, burgo antigo!