Musica Italiana

Ballando la Beguine

( Canta: Alda Zaponi )
( Acompanhada pelo marido Camilo Zaponi )
( Autor: Col Porter - 1938 )
( Tradutor: Devilli - 1982 )
( Titulo original: Begin the Beguine )

Agradeço profundamente o casal de músicos brasileiros Alda e Camilo Zaponi que, muito gentilmente, me enviaram esta musica que há anos estava procurando. Sabendo da minha procura e tendo a partitura original, o casal simplesmente resolveu gravar a musica em casa, com meios não profissionais e sem conhecer o idioma italiano mas, a meu ver, também assim alcançaram um resultado verdadeiramente brilhante, enriquecido por um simpático sotaque brasileiro. Fico muito grato pelo gesto simpático e gentil pois esta peça, sem duvida vai enriquecer o meu site.

Versão italiana Tradução

Quando si fa la Beguine
mi pare di udir la dolce canzone
che, nello splendor di un ciel tropicale,
mi fece sognar tra le acacie in fior.

Mirando con te le stelle d'or,
vicina, sul mar, l'orchestra suonava,
di palme un frusciar ci accarezzava,
quando si fa la Beguine.

Quei giorni d'amor rivivo nel sogno,
vorrei come allor stringerti al cuor.
Dicesti a me "Giuro di amarti sempre"
ed io ti giurai "Tu, sempre tu".

Ma poco durò la felicità,
le nuvole rosa nel cielo il vento disperde,
l'amore, ch' eterno ci par, nel nulla si perde,
per non ripensar più a te.

Non dovrei più danzar la Beguine,
ma scordar non si può l'amor che fu di fuoco.
Nella cenere, ahimé, la brace non dura poco,
quando si fa la Beguine.

Non dovrei più danzar e cantar la Beguine
ed obliare che un dì con te guardai le stelle
sussurrandoti con ardor "Ti voglio bene",
ma purtroppo non so scordarmi di te
quando si fa la Beguine.

E danzo anch'io la Beguine!


Quando se faz a Beguine
me parece de ouvir a doce canção
que, no esplendor de um céu tropical,
me fez sonhar entre as acácias floridas.

Admirando contigo as estrelas douradas,
pertinho do mar a orquestra tocava,
um roçar de palmeiras nos acariciava,
quando se faz a Beguine.

Aqueles dias de amor revivo em sonho,
queria como então apertar-te ao coração.
Disseste a mim "Juro de amar-te sempre"
e eu te jurei "Tu, sempre tu".

Mas pouco durou a felicidade,
as nuvem rosadas no céu o vento dispersa,
o amor, que eterno nos parece, no nada se perde,
para não repensar mais a ti.

Não deveria mais dançar a Beguine,
mas não se pode esquecer o amor que foi de fogo.
Na cinza, ai de mim, a brasa não dura pouco
quando se faz a Beguine.

Não deveria mais dançar e cantar a Beguine
e olvidar que um dia contigo olhei as estrelas
sussurrando-te com ardor "Te quero bem",
mas infelizmente não sei esquecer-me de ti
quando se faz a Beguine.

E danço eu também a Beguine!