Musica Italiana

'A Sunnambula

( Canta: Renato Carosone )
( Autores: E. Alfieri - G. Pisano - 1958 )

Original em dialeto napolitano Tradução

Carmela è na bambola,
e fa 'ammore cu me.
Ma 'a mamma è terribile,
nun mm' 'a vò' fá vedé.

Allora aggio truvato
nu bellu ritrovato,
Carmela fa 'a sunnambula
pe' mme vení a truvá.

E fa scema a mammá!

E cu 'a scusa ch'è na sunnambula,
chesta bambola, nèh, che fa.
Tutt' 'e ssere, pe' copp'a ll'ásteco.
vène a ll'ùnnece a passiggiá.

'Ncopp'a ll'ásteco ce stóngh'io
e lle dico: "Stó' ccá pe' te".
E 'a sunnambula, ch'è na bambola,
fa 'a sunnambula 'mbracci'a me.

'O pate, 'On Arcangelo,
pe' dispietto nun vò'.
Lle sóngo antipatico
e mm'ha ditto ca no.

Ma a me che mme ne 'mporta,
io tengo aperta 'a porta,
Carmela, comm''o ssolito
mme vène a cunzulá.

E fa scemo a papá!

E cu 'a scusa ch'è na sunnambula,
chesta bambola, nèh, che fa.
Tutt' 'e ssere, pe' copp'a ll'ásteco,
vène a ll'ùnnece a passiggiá.

'Ncopp'a ll'ásteco ce stóngh'io
e lle dico: "Stó' ccá pe' te".
E 'a sunnambula, ch'è na bambola,
fa 'a sunnambula 'mbracci'a me.

E cu 'a scusa ch'è na sunnambula,
chesta bambola, nèh, che fa.
Tutt' 'e ssere, pe' copp'a ll'ásteco,
vène a ll'ùnnece a passiggiá.

'Ncopp'a ll'ásteco ce stóngh'io
e lle dico: "Stó' ccá pe' te".
E 'a sunnambula, ch'è na bambola,
fa 'a sunnambula 'mbracci'a me.

E 'a sunnambula, ch'è na bambola,
fa 'a sunnambula 'mbracci'a me!


Carmela é uma boneca
e namora comigo.
Mas a mãe é terrível,
não quer que eu a veja.

Então encontrei
una bela solução:
Carmela faz a sonâmbula
para vir me encontrar.

E faz de boba a mamãe!

E com a desculpa que é uma sonâmbula
esta boneca sabes o que faz.
Todas as noites sobre o terraço
vem as onze a passear.

Sobre o terraço estou eu
e lhe digo: "Estou aqui por ti".
E a sonâmbula, que é uma boneca,
faz a sonâmbula nos meus braços.

O pai, Don Arcangelo,
por despeito não quer.
Lhe sou antipático
e me disse que não.

Mas a mim o que me importa,
eu deixo aberta a porta,
Carmela, como sempre,
me vem a consolar.

E faz de bobo o papai!

E com a desculpa que é uma sonâmbula
esta boneca sabes o que faz.
Todas as noites sobre o terraço
vem as onze a passear.

Sobre o terraço estou eu
e lhe digo: "Estou aqui por ti".
E a sonâmbula, que é uma boneca,
faz a sonâmbula nos meus braços.

E com a desculpa que é uma sonâmbula
esta boneca sabes o que faz.
Todas as noites sobre o terraço
vem as onze a passear.

Sobre o terraço estou eu
e lhe digo: "Estou aqui por ti".
E a sonâmbula, que é uma boneca,
faz a sonâmbula nos meus braços.

E a sonâmbula, que é uma boneca,
faz a sonâmbula nos meus braços!