Musica Italiana

1947

( Canta: Sergio Endrigo )
( Autor: Sergio Endrigo - 1964 )

Agradeço muito meu querido amigo Giovanni por ter-me enviado esta bela musica com a qual o inesquecível Sergio Endrigo (1933-2005) nós dá um tocante testemunho do êxodo de Póla (Istria), sua cidade natal. Faço questão de sublinhar os versos estupendos que dizem:"Como queria ser uma arvore, que sabe onde nasce e onde morrerá!

Original em italiano Tradução

Da quella volta
non l’ho rivista più,
cosa sarà
della mia città.

Ho visto il mondo
e mi domando se
sarei lo stesso
se fossi ancora là.

Non so perché
stasera penso a te,
strada fiorita
della gioventù.

Come vorrei
essere un albero, che sa
dove nasce
e dove morirà.

È troppo tardi
per ritornare ormai,
nessuno più
mi riconoscerà.

La sera è un sogno
che non si avvera mai,
essere un altro
e, invece, sono io.

Da quella volta
non ti ho trovato più,
strada fiorita
della gioventù.

Come vorrei
essere un albero, che sa
dove nasce
e dove morirà.

Come vorrei
essere un albero, che sa
dove nasce
e dove morirà!


Desde aquela vez
não a revi mais,
o que será
da minha cidade

Eu vi o mundo
e me pergunto se
seria o mesmo
se estivesse ainda lá.

Não sei porque
esta noite penso em ti,
estrada florida
dá juventude.

Como queria
ser uma arvore, que sabe
onde nasce
e onde morrerá.

É demais tarde
para voltar agora,
ninguém mais
me reconhecerá.

De noite é um sonho
que nunca se torna realidade,
ser um outro
e, ao contrário, sou eu.

Desde aquela vez
não te encontrei mais,
estrada florida
dá juventude.

Como queria
ser uma arvore, que sabe
onde nasce
e onde morrerá.

Como queria
ser uma arvore, que sabe
onde nasce
e onde morrerá.!